Publicado 11/12/2020 - 07h46 - Atualizado 11/12/2020 - 07h46

Por Henrique Hein

Unicamp volta a internar pacientes e a realizar cirurgias eletivas após abrir mais leitos para Covid-19

Matheus Pereira/AAN

Unicamp volta a internar pacientes e a realizar cirurgias eletivas após abrir mais leitos para Covid-19

Uma semana depois de suspender as internações e cirurgias eletivas por causa do aumento de casos e da ocupação de leitos por pacientes com o novo coronavírus, o Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp retoma hoje os dois procedimentos. A medida ocorre após a abertura de mais nove leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para a Covid-19 na unidade, que passa agora a contar com 17 salas de internação. O HC ainda trabalha para chegar a 20 leitos disponíveis.
Na quinta-feira da semana passada, o superintendente do HC, Antonio Gonçalves de Oliveira Filho, explicou que a suspensão das internações e cirurgias eletivas era necessária para liberar mais leitos no pronto-socorro para abrigar pacientes infectados. No começo do mês, a falta de leitos obrigou o hospital a isolar quatro pacientes com a doença em uma sala de urgência, porque não havia vagas de UTI. Durante o pico mais grave da pandemia, o HC teve 89 leitos de UTI funcionando, dos quais 63 eram exclusivos para Covid-19. Porém, com a diminuição de casos e a redução da demanda, os convênios com os governos estadual e federal se encerraram, o que culminou no fechamento das estruturas.
A habilitação do Ministério da Saúde, por exemplo, deixou de existir, assim como o convênio com a Secretaria de Saúde. No entanto, o novo crescimento de casos obrigou a unidade a suspender as internações e cirurgias eletivas para conseguir dar conta da demanda de infectados.
O HC da Unicamp é o hospital de referência da rede estadual da região de Campinas para atendimento de pacientes com Covid-19.

Escrito por:

Henrique Hein