Publicado 16/12/2020 - 06h00 - Atualizado 15/12/2020 - 15h24

Por Do Correio

Produtos natalinos em mercados

Reprodução

Produtos natalinos em mercados

NATAL COM CLIMA DE MUITA FESTA
Quem pretende ainda êste ano seguir a tradição de comer frutas européias da época, ainda vai pagar um preço relativamente alto pela maioria delas: na principal rede de supermercados da cidade, os valores são praticamente iguais aos do ano passado. E resta isso como consolação: se os produtos não baixaram de preço, ao menos também não foram tão majorados como proporcionalmente nos anos anteriores. A tabela nos supermercados indica Cr$ 8,80 para o quilo de nozes; Cr$ 2,70 para o quilo, de castanhas; Cr$ 7,60 para o de avelãs e amêndoas; Cr$ 3,20 para o pacote de figos secos (o pequeno custa. Cr$ 1,60) ; Cr$ 0,70 para o pacote de passas (norte-americanas); e o único produto brasileiro, a castanha do Pará, custa mais em 1970 do que a estrangeira: Cr$ 3,40 o quilo. De modo geral, há abundância de frutas, de todos os tipos.
 
MENSAGENS DE REPULSA AO SEQÜESTRO
O presidente Médici recebeu hoje do chanceler Mário Gibson Barbosa, das Relações Exteriores, nm relato sobre as providencias que estão sendo adotadas em relação ao sequestro do Embaixador Suíço Giovanni Enrico Bucher. À saída do Palácio das Laranjeiras, o ministro das Relações Exteriores não fêz qualquer declaração à imprensa. A tarde, a Secretaria de Imprensa distribuiu nota, afirmando que o Presidente da Republica, "vem recebendo mensagens, a proposito do sequestro do Embaixador da Suíça no Brasil, externando solidariedade à posição adotada pelo governo e manifestando repulsa aos atos terroristas".
 
HEATH PROCURA APOIO DE NIXON PARA A PAZ
O primeiro ministro Edward Heath segue esta noite para os Estados Unidos na esperança de conseguir o apoio do presidente Nixon a sua proposta tendente a abrir caminho para uma paz árabe-israelense . O ministro britânico provavelmente também informará Nixon de que seu governo vem encontrado grandes dificuldades em seus esforços para manter uma presença militar britânica no golfo persa depois de 1971. A crise do Oriente Médio e os problemas correlatos serão parte importante das conversações que serão realizadas na Casa Branca na quinta e na sexta-feira entre Heath, o ministro do Exterior Sir Alec-Douglas-Home e o secretário de Estado norte-americano, William Rogers.

Escrito por:

Do Correio