Publicado 15/12/2020 - 06h00 - Atualizado 11/12/2020 - 15h46

Por Do Correio

Contador recebe 1º depósito

Reprodução

Contador recebe 1º depósito

CORREIO POPULAR E RÁDIO CULTURA EM CAMPANHA
Toda a comunidade está respondendo ao apelo da consulesa Maria Aparecida Penna Dias Gomide: 1 milhão de dólares para obter a libertação do consul Aloysio Dias Gomide, antes do Natal. E o movimento, lançado oficialmente no Rio de Janeiro, já está ganhando ambito nacional. Ontem, Campinas engajou-se no movimento através do Correio Popular e da Rádio Cultura que lançaram a campanha, abrindo uma conta em nome da consulesa, na agência centro (avenida Francisco Glicério) do Banco Auxiliar de São Paulo, que remeterá todos os fundos arrecadados para a Guanabara, onde Dona Maria Aparecida Gomide, poderá retirá-los.
 
EMBAIXADOR SUIÇO: HÁ SILÊNCIO SOBRE NEGOCIAÇÕES
Até o momento não existe nenhuma indicação de que os órgãos de segurança tenham obtido qualquer resultado em suas ininterruptas buscas para lo calmar o embaixador suiço, Giovanni Enrico Bucher, sequestrado no último dia 7, na rua Conde de Balpendi. Também o govêrno não libera informações sobre as negociações que porventura se estejam desenvolvendo com o objetivo de preservar a vida do diplomata. A demora do sequestro — o mais longo dos Quatro já sofridos pelo Brasil —oferece motivo para interpretações. As especulações indicam que a delonga decorre de uma nova tática julgada mais conveniente pelo govêrno para reduzir a ação terrorista e até mesmo criar condições para localização do refugio dos sequestradores.
 
GOVÊRNO RESPONSABILIZA SEQÜESTRADORES
Um Comunicado dos sequestradores — de numero três — datado de domingo, diz que até agora não foi feita nenhuma lista de presos. O comunicado e uma cópia foram deixados no banheiro de um bar do Leblon e outro de Ipanema. A informação confirma a referência do ministro Buzaid, feita em nota oficial, sobre as listas autênticas. A nota foi expedida no Palácio das Laranjeiras, depois de uma reunião do ministro da Justiça com o presidente Médici e o chanceler Mário Gibson Barbosa. Após, o sr. Alfredo Buzaid dirigiu-se ao Ministério cia Justiça, onde ficou até à noite, sem receber os numerosos jornalistas que aguardavam contato com êle.

Escrito por:

Do Correio