Publicado 06/12/2020 - 06h00 - Atualizado 04/12/2020 - 15h20

Por Do Correio

Obras do Conj. Poli-Esportivo

Reprodução

Obras do Conj. Poli-Esportivo

CONJ. POLI-ESPORTIVO NASCE NO BRINCO DE OURO
Com máquinas gentilmente cedidas pela Prefeitura Municipal de Campinas, que assim empresta a sua colaboração para o grande empreendimento, o Guarani F. C. deu, ontem, à tarde, o passo inicial para a construção do seu monumental conjunto social poli-esportivo. A data vai ficar registrada nos anais da história do alviverde campineiro, pois marcou o início de uma bora que há muito tempo é sonho da grande coletividade bugrina. O serviço de terraplenagem, assim, está em pleno desenvolvimento. Em palestra com a reportagem do "Correio Popular", o diretor geral da Comissão de Obras do estádio "Brinco de Ouro", Emilio Porto, nos adiantou que o conjunto será erguido em curto espaço de tempo e, pelo ritmo acelerado dos trabalhos, logo começarão a ser apresentados os serviços.
 
LEVANTAMENTO SOCIOLÓGICO DAS ELEIÇÕES
Na opinião do Ministro Alfredo Buzaid, da Justiça, o levantamento sociológico das eleições torna-se necessário como medida inicial ao estudo da reforma política, a fim de que o problema seja equacionado "com base na realidade do país." Em seguida ao levantamento sociológico, que será analisado e interpretado pelo governo, os dirigentes políticos representantes da Justiça Eleitoral serão chamados a debater o assunto. Apurou-se hoje que o Ministério da Justiça deverá realizar o levantamento sociológico do pleito como um trabalho interno do governo.
 
FRACASSOU A REUNIÃO DA ALALC
A décima conferência negociadora da Associação Latino-Americana de Livre Comércio (ALALC), foi encerrada na noite passada em meio a comentários pessimistas acerca de seus resultados. Um porta-voz da conferência admitiu virtualmente o fracasso desta rodada ao descreveria como "a mais pobre em matéria de negociações entre todas as celebradas nos dez anos de existência da ALALC". Nesta conferência iniciada a 24 de outubro último, os únicos países que negociaram o desagravo de alguns produtos foram Brasil, Argentina e México, os chamados "grandes" da Associação.

Escrito por:

Do Correio