Publicado 11/11/2020 - 08h18 - Atualizado 11/11/2020 - 08h19

Por


Virou febre! Tudo o que certas pessoas não entendem ou nunca viram não existe! O que existe é o que entra nas suas cabeças e cosmovisões. São faltos de neurônios, não gostam de ler, de se informar e as suas cosmovisões devem ser o padrão para o entendimento e ações no mundo.
Avessos a toda e qualquer coisa que possa ser contrária às suas afirmações e verdades, são lépidos em tirar da frente quem a eles se opõem. Os exemplos de negacionistas e das pessoas retiradas de sua frente são muitos. O exemplo mais acabado no presente é o Trump. Ele, do alto de sua arrogância e prepotência, nega que perdeu a eleição. Como pode ser isto? pergunta ele a si mesmo. Ele que, na sua ótica obtusa e míope, foi o melhor presidente dos Estados Unidos, comparando-se a Abraham Lincoln, não perderia uma eleição, a não ser que houvesse fraude. Ele, quem se julga o que mais beneficiou os negros, como pode ter perdido em populações negras?
Para provar que isto aconteceu, o Trump afirma uma séria de inverdades, questiona o legal, desacredita um processo histórico de eleição, inventa conspirações. Como tudo o que ele diz tem que ser verdade, a "sua verdade" é aceita pelos "no-brain people" (gente sem cérebro) e retuitada sem critérios. A mentira repetida muitas vezes se torna verdade, já disse alguém.
O negacionista Trump não aceita a derrota, por mais evidente que ela seja. Vai tentar, por artimanhas e chicanas jurídicas, reverter o irreversível. Assim como a terra é plana, a Covid-19 é uma gripezinha, máscara só serve para sufocar quem a usa, o número de mortes está inflacionado, a eleição é uma fraude.
Dia destes recebi um destes posts. Afirmava que, no Brasil, em 2019 houve X mortes e que em 2020 o número de mortos era menor que em 2019. E perguntava: onde está a mortandade da Covid? Não citava fontes, não dizia qual "otoridade" a postou, mas me foi passado para eu repensar o que escrevo.
Uma destas postagens feitas pelo Trump afirma que há, em Michigan, 14.000 votos de pessoas mortas. A CNN foi verificar e constatou que as pessoas estavam vivas, que estavam vivas e votaram ou estavam vivas e não votaram. O mesmo se deu com o anúncio de que uma pessoa nascida em 1800 e algo havia votado e o responsável pela eleição no estado foi atrás e demonstrou ser falsa a alegação.
O Trump queria que se usassem tropas federais para acabar com as manifestações pró-Biden, inclusive as que celebravam a vitória. O secretário Mark Esper, que se recusou a usar tropas federais nas manifestações que surgiram logo após a morte de George Floyd e o movimento Black Lives Matter, foi demitido na segunda-feira. "Sai da frente, opositor" deve ter dito. Assim ele fez com outros. Há a demissão de 46 procuradores federais demitidos por rede social, para que o caminho fique lubrificado para seus questionamentos jurídicos. Demitiu secretário de Estado, Rex Tillerson, o ex-diretor da CIA, John Brennan "se demitiu" por crer e afirmar que houve interferência russa na eleição de Trump.
Aprendi que "todo palhaço tem sua plateia". Pequena mas tem. Esta plateia não dá para se reeleger. Que os imitadores do Trump tenham ciência disto!
Marcos Inhauser é teólogo, pastor da Igreja da Irmandade e educador corporativo.

Escrito por: