Publicado 27/11/2020 - 07h54 - Atualizado 27/11/2020 - 07h54

Por Maria Teresa Costa


Cedoc/RAC

Os candidatos a prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos) e Rafa Zimbaldi (PL), gastaram, juntos, R$ 8,33 milhões, segundo prestação de contas de despesas contratadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), atualizada até o dia 20. Quem mais gastou foi Rafa, que contratou despesas de R$ 4,58 milhões — desse total, o maior gasto (R$ 700 mil) foi para a produção do horário eleitoral para TV. Dário declarou R$ 3,75 milhões, dos quais 53% foram à coordenação do marketing da campanha.
Rafa obteve a maior receita para a campanha, de R$ 7,01 milhões, enquanto Dário arrecadou R$ 3,75 milhões. O financiamento das campanhas permanece sendo feito majoritariamente com recursos públicos, oriundos do fundo eleitoral, que é bancado com verbas do Tesouro Nacional. Na campanha de Dário, o partido já aportou R$ 2,14 milhões e na de Rafa, R$ 6,56 milhões.
A participação de doações de pessoas físicas para as duas campanhas soma R$ 2,44 milhões — Dário arrecadou R$ 1,98 milhão nos dois turnos e Rafa, R$ 456,3 mil. Eleitores podem doar aos candidatos de sua preferência valores que correspondam a até 10% da renda bruta anual declarada à Receita Federal.
No segundo turno, os candidatos podem gastar até R$ 2.083.546,84, que correspondem a 40% do limite de cada candidato previsto no primeiro turno. No primeiro turno do pleito municipal, o limite foi fixado em 5.076.367,11.
Segundo a Lei das Eleições, o limite de gastos das campanhas dos candidatos deve equivaler ao limite para os respectivos cargos nas Eleições de 2016, atualizado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ou por índice que o substitua.
FINANCIAMENTO DAS CAMPANHAS
Candidato       Receitas      Doação PF   Doação Partidos   Despesas contratadas
Dário Saadi      4.170.800     1.984.800          2.146.00                    3.757.018
Rafa Zimbaldi   7.016.908       456.399           6.560,500                  4.582,721
* Valores em reais
Fonte: TSE

Escrito por:

Maria Teresa Costa