Publicado 25/11/2020 - 06h00 - Atualizado 24/11/2020 - 15h07

Por Do Correio

Escoteiros construindo a sua sede

Reprodução

Escoteiros construindo a sua sede

ESCOTEIROS DO CÍRCULO ESTÃO CONSTRUINDO SUA SEDE
A prática do escotismo também figura nas atividades do Circulo Militar de Campinas, que tem na sua presidência o tte. cel. Rodolpho Pettená. O Grupo Escoteiro Craós, do Círculo, sob a orientação do Chefe Gambassi e direção do prof. Nereo Dolenc, terá dentro de poucos dias sua sede, localizada no Bosque dos Eucaliptos, estando já em adiantada fase a sua construção, obedecendo a um estilo próprio de construções desse gêrero. Aí, os escoteiros, formando um grupo que já vai além de duas dezenas, receberão instrução e orientação para suas atividades. A sua sede, no Bosque dos Eucaliptos, denomina-se "Forte Apache."
 
LIBERTAÇÃO DE GOMIDE PASSA A SER EXPECTATIVA
O chanceler Mário Gibson Barbosa esteve em conferência hoje com o Governador Abreu Sodré, no Palácio Bandeirantes. À saída, o Ministro do Exterior declarou que a libertação do Consul Aloísio Gomide, sequestrado pelos Tupamaros há mais de três mêses, deixou de ser esperança para transformar-se em expectativa. Acentuou que nada pode, ainda, ser adiantado sobre a libertação de Gomide, dada a reserva com que o assunto vem sendo tratado pelo governo brasileiro, acrescentando que a preocupação do Itamaraty tem sido a de salvar a vida do diplomata, restituindo-o à liberdade o mais rápido possível.
 
O MARXISTA FRANCÊS DEBRAY SERÁ LIBERTADO
A imprensa local afirma que marxista francês Regis Debray, o esquerdista argentino Ciro Bustos e quatro bolivianos, considerados culpados de participação na guerrilha do extinto "Che" Guevara, serão libertados nos próximos dias. Debray e Bustos foram condenados em 1967 a 30 anos de prisão, cada um, por um tribunal militar. As informações da imprensa revelam que o governo do general Juan José Torres decidiu conceder-lhes a liberdade, embora ainda não tenham sido divulgados os processos legais a serem seguidos. Falou-se primeiramente de uma anistia e a seguir que os presos seriam indultados. O general Luis Regue Teran, comandante do Exército, disse hoje que a decisão "está nas mãos do presidente".

Escrito por:

Do Correio