Publicado 24/11/2020 - 06h00 - Atualizado 20/11/2020 - 15h22

Por Do Correio

Devastação florestal: esta clareira foi feita pelo homem

Reprodução

Devastação florestal: esta clareira foi feita pelo homem

CRIME: ESTA MATA ESTÁ SENDO DEVASTADA
Dentro da moderna conceituação de urbanismo, a preservação de áreas verdes ganha novo dimensionamento, principalmente pela importância do sistema sob o aspecto técnico, de despoluição atmosférica. Segundo Ziegrifd Haller, um dos mais considerados urbanistas da Europa, presidente do Conselho de Urbanismo de Estocolmo, "na floresta está o reencontro do Homem com seu meio ambiente ideal". E o movimento preservacionista alastra-se rapidamente pelos principais centros urbanos do mundo. Nova Iorque, uma floresta de concreto e aço, enfrenta a questão de maneira muito objetiva: todas as áreas livres estão sendo ajardinadas, os bosques do subúrbio mantidos intactos e os cidadãos multados em US$ 40,00 por árvore abatida. Esta porém não é a idéia dos setores competentes da região de Campinas, onde uma autentica floresta, nas proximidades do Jardim Santana e Parque São Quirino está sendo criminosamente devastada.
 
PESQUISA PARA VOTOS BRANCOS E NULOS
As causas do elevado número de votos em branco e nulos, verificado no pleito do último dia 15, serão objetos de uma pesquisa que será realizada por actores especializados e universitário da Universidade de São Paulo. Esse levantamento foi solicitado hoje pelo governador Abreu Sodré ao prof. Miguel Reale, reitor da USP, durante o despacho que ambos mantiveram. O proposito do governador já havia sido manifestado há dias, quando esteve na Guanabara a fim de participar de homenagem ao ministro da Fazenda. Entende o governador "não haver colaboração ideológica traduzida na soma dêsses votos — cêrca de dois milhões —mas apenas a manifestação de despreparação eleitoral com a introdução da cédula única, o voto vinculado e o desinteresse do eleitor para o pleito destinado à renovação das representações.
 
DESOLAÇÃO É TOTAL NO GOLFO DE BENGALA
O governador do Paquistão Oriental, vice-almirante S.M. Ahsan, qualificou de "colossais" as perdas humanas provocadas pelo ciclone da semana passada, em uma reunião improvisada com os jornalistas, aqui, ontem. Por seu turno, os correspondentes de imprensa que regressaram das regiões sinistradas insistiram em que tôda aquela zona era um espetáculo de desolação. A quase totalidade dos sinistros, sem dúvida acostumados à desgraça e à miséria, parece resignada ante a lentidão das operações de socorro.

Escrito por:

Do Correio