Publicado 24/10/2020 - 18h50 - Atualizado 24/10/2020 - 18h51

Por Gustavo Magnusson/Da Agência Anhanguera

O volante Barreto estreou na derrota da Ponte Preta por 1 a 0 para o CRB, em Maceió

Maxwell Oliveira/CRB

O volante Barreto estreou na derrota da Ponte Preta por 1 a 0 para o CRB, em Maceió

Quatro dias após amargar a sua pior derrota desde 2012 e a maior goleada em casa em 25 anos, a Ponte Preta voltou a apresentar problemas defensivos e sofreu a segunda derrota consecutiva. A Macaca perdeu por 1 a 0 para o CRB na tarde de hoje, no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela 18ª e penúltima rodada do primeiro turno da Série B. O único gol da partida foi marcado pelo atacante Pablo Dyego na etapa inicial. O ataque da Ponte não passava em branco por duas partidas consecutivas desde o início de agosto.
Com o resultado negativo, a Ponte Preta continua com 27 pontos e agora vê o adversário alagoano apenas um ponto atrás na tabela. A equipe alvinegra segue sem vencer o CRB em Maceió desde 2008.
O jogo
Em busca de mais solidez defensiva e equilíbrio entre os setores da equipe, o técnico Marcelo Oliveira promoveu cincos mudanças no time titular em relação à formação inicial da goelada de 5 a 0 para a Chapecoense. No miolo de zaga, o treinador sacou Alisson, que havia cometido pênalti e feito gol contra na terça-feira, para a volta de Rayan, que não atuava desde o dia 15 de agosto, contra o Vitória, quando sofreu uma fratura na face que o afastou dos gramados por dois meses. Além dessa modificação, o recém-contratado Léo Pereira assumiu a vaga deixada pelo lesionado Apodi na lateral-direita. No meio-campo, Barreto também estreou ao assumir o lugar de Neto Moura, por opção técnica, reforçando assim a marcação da equipe.
Desta forma, Marcelo Oliveira retomou o esquema de três atacantes, contando com a volta de suspensão do atacante Matheus Peixoto e o retorno de lesão de Bruno Rodrigues, responsável pelas duas primeiras chances de perigo do jogo. Aos 12', ele bateu colocado de fora da área e a bola explodiu na trave esquerda de Victor Souza. Aos 17', deixou Moisés na cara do gol, mas o atacante ex-Concórdia tentou cavar pênalti e o juiz mandou seguir o lance. Na sequência, Matheus Peixoto cabeceou fraco para fácil defesa do goleiro.
Apesar da superioridade nos primeiros 20 minutos de jogo, a Ponte saiu atrás do placar pela 11ª vez na atual edição da Série B. Mesmo com 3 desfalques de última hora por Covid-19, incluindo o atacante Alisson Safira, ex-Ponte, o CRB balançou as redes graças a um lance de esperteza de Diego Torres. Em cobrança rápida de falta que pegou a defesa pontepretana de surpresa, ele acionou Igor Cariús pela esquerda, que cruzou para o meio da área. Ivan até tocou na bola, mas não conseguiu evitar que ela chegasse limpa para Pablo Dyego vencer a marcação e estufar as redes. A Ponte chegou aos 26 gols sofridos na Série B e continua como a segunda pior defesa do campeonato.
No segundo tempo, a Macaca partiu em busca do empate e dominou as ações, mas não foi capaz de buscar a igualdade. As duas chances mais claras saíram dos pés do Dawhan, que isolou aos 40' e depois desperdiçou outra oportunidade incrível aos 50', dentro da pequena área.
A Ponte Preta volta a campo somente no dia 2 de novembro, feriado de Finados, quando enfrenta o Figueirense, às 17h, no Moisés Lucarelli.
FICHA TÉCNICA:
CRB (1)
Victor Souza; Reginaldo, Gum (Thiaguinho 29/2º), Xandão e Igor Cariús (Ewerton Páscoa 29/2º); Claudinei (Lucas Mednes 22/2º), Carlos Jatobá e Diego Torres; Pablo Dyego (Luidy 9/2º), Robinho (Thalison Kelven 22/2º) e Bill. Técnico: Marcelo Cabo.
PONTE PRETA (0)
Ivan; Léo Pereira (Camilo 22/2º), Luizão, Rayan (Wellington Carvalho 29/2º) e Ernandes; Dawhan, Barreto (Bruno Reis/Int.) e João Paulo; Moisés (Osman 30/2º), Bruno Rodrigues e Matheus Peixoto (Tiago Orobó 16/2º). Técnico: Marcelo Oliveira.
Gol: Pablo Dyego, aos 23' do 1º tempo.
Local: Rei Pelé.
Público e Renda: Portões fechados.
Juiz: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ).
Cartões amarelos: Rayan e Barreto (PP); Carlos Jatobá e Robinho (CRB) .

Escrito por:

Gustavo Magnusson/Da Agência Anhanguera