Publicado 21/10/2020 - 00h15 - Atualizado 21/10/2020 - 00h15

Por Gustavo Magnusson/Da Agência Anhanguera

O volante Dawhan divide bola no meio-campo na histórica derrota da Ponte Preta por 5 a 0 para a Chapecoense

Ponte Press/Álvaro Jr.

O volante Dawhan divide bola no meio-campo na histórica derrota da Ponte Preta por 5 a 0 para a Chapecoense

Após uma semana inteira de preparação, a Ponte Preta sofreu acachapante goleada por 5 a 0 para a Chapecoense na noite de ontem, no Moisés Lucarelli, pela 17ª rodada da Série B. Foi a maior goleada sofrida dentro do Majestoso desde 1995, quando o XV de Piracicaba impôs 6 a 0.
A Macaca ainda segue dentro G4, na quarta colocação, com 27 pontos, mas já vê o Juventude com o mesmo número de pontos, só que com uma vitória a menos. A equipe alvinegra também perdeu a condição de melhor ataque da competição para o time gaúcho.
Com o péssimo resultado, a Ponte volta a ter a segunda pior defesa da Série B, com 25 gols. A Macaca segue sem vencer equipes que ocupam as seis primeiras colocações na atual edição do torneio. A Ponte nunca havia perdido como mandante para a Chapecoense. Até então, eram três vitórias e um empate em quatro jogos. Com o triunfo inédito, a Chapecoense chegou aos 33 pontos e assumiu a liderança provisória da Série B. A equipe catarinense não perde há 13 jogos.
O jogo
Em sua estreia comandando a Ponte Preta no Majestoso à beira do campo, já que acompanhou o Dérbi 197 nas tribunas do estádio, o técnico Marcelo Oliveira promoveu três alterações no time titular em relação à formação inicial da vitória sobre o Náutico, na rodada passada. Sem o suspenso Matheus Peixoto, o recém-contratado Tiago Orobó estreou na referência do ataque. Já o lateral-esquerdo Guilherme Lazaroni, com dores na coxa esquerda, cedeu lugar para Ernandes. Ao todo, eram oito baixas no elenco. A outra alteração foi a saída do atacante Guilherme Pato, preterido por Camilo, que não aparecia no onze titular desde o dia 25 de agosto, quando sofreu uma lesão que o afastou dos gramados por mais de um mês. Desta forma, o treinador trocou o esquema com três atacantes pela formação com dois meias de origem.
Com a missão de furar a melhor defesa da Série B, com apenas 5 gols sofridos, a Ponte Preta saiu atrás do placar em um contra-ataque sofrido logo aos 6'. Após chute de Busanello, Paulinho Moccelin aproveitou rebote de Ivan e cabeceou de dentro da pequena área para balançar as redes. Foi a décima vez que a Ponte Preta largou em desvantagem no campeonato. A situação ficou ainda mais complicada aos 25', em cobrança de falta que Anselmo Ramon rolou para Busanello chutar rasteiro no canto direito de Ivan. Era apenas a segunda vez que a Chapecoense marcava dois gols em um mesmo jogo na Série B. A outra havia sido na vitória por 2 a 0 sobre o Guarani, em agosto.
No primeiro tempo, a Ponte ameaçou apenas em chutes de longe para fora de Apodi, Dawhan e Camilo, batendo falta. A segunda etapa começou com uma grande defesa de João Ricardo em chute de Moisés, mas depois disso a Chapecoense sempre esteve mais perto de aumentar o placar do que a Ponte de voltar para o jogo. Aos 8', Busanello exigiu defesa de manchete de Ivan. Aos 10', Moccelin finalizou cruzado e a bola passou perto. Aos 23', Alisson derrubou Lucas Tocantis dentro da área e cometeu pênalti que Anselmo Ramon bateu no ângulo direito. Aos 29', Alisson voltou a falhar ao tentar interceptar cruzamento de Aylon e mandar contra as próprias redes. A Chapecoense ainda teve tempo de anotar o quinto gol, aos 42', em chute de Lucas Tocantins na saída de Ivan.
Em busca de reabilitação, a Ponte Preta volta a campo neste próximo sábado contra o CRB, às 16h, no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela 18ª rodada da Série B.
FICHA TÉCNICA:
PONTE PRETA
Ivan; Apodi (Vinicius Zanocelo 27/2º), Alisson, Luizão e Ernandes; Neto Moura (Bruno Reis/Int.), Dawhan, João Paulo e Camilo (Bruno Rodrigues/Int.); Moisés e Tiago Orobó (Guilherme Pato 20/2º). Técnico: Marcelo Oliveira.
CHAPECOENSE
João Ricardo; Ezequiel (Guedes 37/2º), Joílson, Luiz Otavio e Busanello (Aylon 16/2º); Willian Oliveira, Alan Ruschel e Anderson Leite; Paulinho Moccelin (Foguinho 32/2º), Anselmo Ramon (Perotti 32/2º) e Felipe Garcia (Lucas Tocantins/Int.). Técnico: Umberto Louzer.
Gols: Paulinho Moccelin, aos 6', e Busanello, aos 25' do 1º tempo; Anselmo Ramon, aos 24', Alisson (c), aos 29', e Lucas Tocantins, aos 42' do 2º tempo.
Local: Moisés Lucarelli.
Público e Renda: Portões fechados.
Juiz: Andrey da Silva e Silva (PA).
Cartões amarelos: Luizão e Dawhan (PP); Joílson, Paulinho Moccelin e Busanello (C).

Escrito por:

Gustavo Magnusson/Da Agência Anhanguera