Publicado 15/10/2020 - 09h51 - Atualizado 15/10/2020 - 09h51

Por Da Agência Anhanguera

Cidade tem alta reputação no ensino médico, formando todos os anos centenas de profissionais de excelência: aprendizado para aplicar técnicas de prevenção, cura de doenças e noções de como salvar vidas ao longo da carreira

Pixabay/Banco de Imagens

Cidade tem alta reputação no ensino médico, formando todos os anos centenas de profissionais de excelência: aprendizado para aplicar técnicas de prevenção, cura de doenças e noções de como salvar vidas ao longo da carreira

A medicina é uma área do conhecimento que está ligada à manutenção e restauração da saúde das pessoas. Quem trabalha no meio aprende desde cedo a aplicar técnicas de prevenção, cura de doenças e noções de como salvar uma vida. Somente em Campinas, pelo menos 300 alunos de medicina se formam todos os anos nas principais universidades da cidade. Na Unicamp, por exemplo, o curso é disparado o mais concorrido da instituição, com mais de 300 candidatos por vaga. 
Cidade tem alta reputação no ensino médico, formando todos os anos centenas de profissionais de excelência: aprendizado para aplicar técnicas de prevenção, cura de doenças e noções de como salvar vidas ao longo da carreira
A universidade ainda conta com um extenso complexo hospitalar que envolve: o Hospital de Clínicas (HC), o Hospital Estadual de Sumaré (HES), o Hospital da Mulher (Caism), além de setores de apoio como: o Hemocentro, o Gastrocentro e o Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação (Cepre). Toda essa área fica inserida dentro da Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Por ano, cerca de 500 mil pacientes, provenientes da macrorregião de Campinas e sul de Minas Gerais, são atendidos pelos profissionais dessas unidades.
PUC forma 130/ano
Na PUC-Campinas, o curso de medicina começou em março de 1976 e forma anualmente cerca de 120 alunos, sendo 60 por semestre. A instituição ainda cuida do Hospital PUC-Campinas desde o seu início, em 1978. Com o tempo, o espaço foi ampliado e hoje possui 321 leitos, sendo 196 destinados ao atendimento de usuários do convênio do Sistema Único de Saúde (SUS).
Já a Faculdade São Leopoldo Mandic, além do tradicional curso de medicina, também disponibiliza anualmente 1,6 mil leitos na região, visando a formação de seus alunos. As unidades ficam à disposição dos novos profissionais em complexos como: os hospitais Ouro Verde e Mário Gatti, a Maternidade de Campinas, o Hospital Municipal de Americana, o Centro Médico de Vinhedo e a Santa Casa de Misericórdia de Santa Bárbara d’Oeste.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera