Publicado 28/10/2020 - 08h09 - Atualizado 28/10/2020 - 08h09

Por Gilson Rei

Diminuição da oferta de flores deve ocasionar elevação dos preços

Matheus Pereira/AAN

Diminuição da oferta de flores deve ocasionar elevação dos preços

Os produtores de flores de Holambra esperam um aumento de 10% no faturamento com as vendas de produtos específicos para o Finados em relação ao mesmo período do ano passado.
Embora a maioria dos produtores tenha reduzido a produção durante a pandemia da Covid-19, uma parte está otimista e aposta em maior faturamento no Dia de Finados. Mesmo diante das dificuldades nestes tempos de pandemia, a expectativa da Cooperativa Veiling Holambra, que reúne cerca de 400 produtores de flores, é de ter, em Finados, um bom resultado.
"Com a previsão de quantidades menores, as perspectivas são de que os preços possam ser melhores. Por isso, de modo geral, esperamos crescer neste período ao menos 10% no faturamento de produtos específicos para a data, em relação ao ano anterior, mesmo com uma regressão entre 15% e 20% quanto ao volume", avaliou Jorge Possato Teixeira, CEO da Cooperativa Veiling Holambra.
Os produtores informaram que os produtos mais comercializados nesta época pela Veiling são os crisântemos; antúrios; kalanchoes; kalanchoes dobrados (calandivas) e as suculentas em geral. Teixeira explicou que essas flores e plantas destacam-se pela delicadeza e colorido e pela facilidade de cuidados e de manutenção.
O produtor de crisântemos Pedro Pennings, da Maggy Flores e Plantas, diminuiu a produção regular semanal em 20%, devido à pandemia, mas está normalizando o plantio gradativamente, que estará estabilizado até o final do ano. A aposta é nos crisântemos polares brancos e amarelos, principais demandas do mercado para esta época, e nas margaridas de cores variadas e vibrantes, oferecendo grande variedade de cores e formatos.
Os produtores Johnny e Bete Kortstee, da Isidorus Flores, que cultivam roseiras em vaso e bola belga, embora tenham expectativa positiva para as vendas para Finados, diminuíram a produção pela metade de bola belga em relação ao ano passado, mas aumentaram em 4% a produção de roseiras. O cuidado foi para evitar novos prejuízos.
Já o Grupo Swart, produtor de kalanchoes, também está entre os que decidiram aumentar a produção para Finados. Ele plantou 150 mil vasos extras para atender à demanda de Finados. "Registramos um aumento de produção em torno de 10% a mais em relação ao ano passado. Nós acreditamos que o pior da pandemia já teria passado antes desta data e que o consumo aumentaria. Acertamos, pois já temos em torno de 70% da produção comercializada antecipadamente e a nossa expectativa é a de que o resultado seja melhor do que o do ano passado", disse Victor Villa Nova, integrante do grupo Swart.
Na previsão da Cooperativa, não devem faltar flores para os consumidores. No entanto, considerando a regressão nos volumes dos produtos típicos para Finados, e havendo um aquecimento nas vendas de última hora, certamente a oferta de algumas variedades poderá ser menor e não atender toda a demanda.

Escrito por:

Gilson Rei