Publicado 20/10/2020 - 10h10 - Atualizado 20/10/2020 - 10h11

Por Daniel de Camargo

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) iniciou ontem a retomada gradual

Wagner Souza/AAN

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) iniciou ontem a retomada gradual

Após suspender as atividades presenciais em 13 de março - foi a primeira universidade pública brasileira a adotar a medida em decorrência da pandemia de Covid-19 -, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) iniciou ontem a retomada gradual com a volta de até 20% dos aproximadamente 10 mil servidores ativos da instituição. O cronograma prevê para o terceiro período, a partir de 16 de novembro, o começo do retorno das aulas presenciais de graduação e pós graduação. Serão priorizados os trabalhos laboratoriais e ações que não possam permanecer remotas.
O avanço no plano deverá respeitar o intervalo de duas semanas entre cada período e, em cada um deles, o percentual máximo de servidores que poderão retornar aumentará em 20%. Segundo a universidade, as datas estabelecidas podem ser revistas a qualquer momento, dependendo da evolução da pandemia nas regiões em que a instituição mantém seus campi.
Os percentuais de servidores e alunos indicados na estratégia são valores máximos de referência que as unidades terão para organizar suas próprias dinâmicas de trabalho de forma segura. No entanto, cada órgão tem autonomia para determinar quantas pessoas retornarão de acordo com as especificidades de cada espaço e do tipo de trabalho desenvolvido.
Reitor da Unicamp, Marcelo Knobel destacou que o desafio é encontrar o equilíbrio entre o funcionamento adequado, principalmente das atividades de pesquisa e dos estudantes que precisam finalizar algumas aulas práticas para se formarem. "Essa é a prioridade de todos. Cada unidade encontrará um mecanismo de buscar suas prioridades para manter o mínimo de atividades necessárias no campus e que a gente possa adaptar lentamente, gradualmente essa situação", esclareceu.
Antes do início do cronograma, ainda em setembro, as direções das unidades e órgãos tiveram o período entre os dias 17 e 25 para definir internamente e informar a ordem de retorno de seus servidores. Entre os dias 29 de setembro e 6 de outubro, o mesmo planejamento foi feito com os alunos de graduação, pós-graduação, extensão e também alunos da Moradia Estudantil. A programação é necessária para que haja a preparação física dos espaços e também a adequação de serviços como o atendimento nas bibliotecas, restaurantes universitários e ônibus fretados, que não poderão funcionar ainda com sua capacidade máxima ou horário integral para a segurança dos servidores e do público atendido.
No período de 1 a 16 de outubro, foram realizados testes do tipo RT-PCR para detecção do coronavírus em todos os servidores que regressaram ontem. Os exames foram realizados pelo Centro de Saúde da Comunidade (Cecom). Os servidores também assistiram a videoaulas sobre o retorno seguro e foram orientados a baixar e se registrar no aplicativo que será utilizado para controle de sintomas da Covid-19. Todos os funcionários, professores e alunos que tiverem retorno previsto passarão por este mesmo processo.
Knobel entende que a retomada gradual das atividades presenciais exigirá organização e colaboração de todos os membros da comunidade universitária. "Se a vacina ficar pronta em janeiro, com muita sorte em fevereiro, ainda vai demorar quase um ano para que ela seja aplicada em todas as pessoas, temos mais de 200 milhões de habitantes no País, não é algo simples de se fazer. Nós não podemos apostar na vacina como uma única esperança para o retorno", enfatizou o reitor.
Aplicativo fiscaliza distanciamento social
Pesquisadores da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) da Unicamp desenvolveram, em parceria com o Instituto de Pesquisas Eldorado, um dispositivo eletrônico que adverte os usuários com apitos, junto a uma luz vermelha, toda vez que a distância de 1,5 metro — recomendada para evitar a transmissão do novo coronavírus — é desrespeitada. O intuito é auxiliar na retomada segura das atividades presenciais de empresas dos mais diversos setores. O aparelho é parecido com um pager, pode ser carregado no bolso ou utilizado com um cordão sobre o peito, a exemplo de um crachá. 
O dispositivo levou cerca de cinco meses para ser desenvolvido e não utiliza tecnologia GPS, pois poderia haver problemas para o seu funcionamento em ambientes fechados, e bluetooh de celulares, porque teria impacto na privacidade de dados das pessoas. Professor da FEEC envolvido no trabalho, Gustavo Fraidenraich explicou que ele utiliza tecnologia UWB (banda ultralarga), que garante margem mínima de erro.
Além disso, destaca que a distância é configurável e que o equipamento pode evitar prejuízos para as empresas. "Quando um funcionário diz que está contaminado e os outros falam que estão contaminados também porque tiveram perto, o gerente da empresa é obrigado a aceitar o afastamento de todo mundo. Isso pode representar, em uma semana, de R$ 100 mil a R$ 150 mil, dependendo do número de funcionários afastados. Então impacta muito na questão financeira", analisa.
CRONOGRAMA
19/10 - Período 1: até 20% de servidores;
02/11 - Período 2: até 40% de servidores;
16/11 - Período 3: até 60% de servidores, até 25% de alunos de graduação, pós-graduação e extensão e até 25% de crianças atendidas pelo Centro de Convivência Infantil/Serviço Socioeducativo;
30/11 - Período 4: até 80% de servidores, até 50% de alunos de graduação, pós-graduação e extensão e até 50% de crianças atendidas pelo Centro de Convivência Infantil/Serviço Socioeducativo;
14/12 - Período 5: até 100% de servidores, até 75% de alunos de graduação, pós-graduação e extensão e até 75% de crianças atendidas pelo Centro de Convivência Infantil/Serviço Socioeducativo;
23/12 a 03/01/2021 - Recesso de fim de ano
04/01/2021 - Período 6 - até 100% de servidores, até 100% de alunos de graduação, pós-graduação e extensão e até 100% de crianças atendidas pelo Centro de Convivência Infantil/Serviço Socioeducativo;
18/01/2021 - Ingresso na Fase 3 do plano de retomada gradual das atividades.

Escrito por:

Daniel de Camargo