Publicado 20/10/2020 - 07h47 - Atualizado 20/10/2020 - 07h48

Por Gilson Rei

Vacinação contra a poliomielite

Matheus Pereira/AAN

Vacinação contra a poliomielite

Mais de 7 mil crianças foram vacinadas em Campinas contra a paralisia infantil no sábado passado, Dia D da campanha de vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação. O balanço divulgado ontem pela Secretaria de Saúde informou que foram aplicadas 7.195 doses de vacina contra poliomielite — que combate a paralisia infantil — e que houve também a multivacinação em 3.380 crianças e adolescentes de até 15 anos.
Deste total de vacinados, 6.370 compareceram aos Centros de Saúde ou postos extras. A Campanha começou em 5 de outubro e seguirá até o dia 30. As vacinas estão disponíveis em todos os 66 Centros de Saúde de Campinas. Os endereços podem ser consultados no link: http://www.saude.campinas.sp.gov.br/saude/eventos/eventos_2020/campanha_multivacinacao/locais_vacinacao.htm.
Desde o dia 5 de outubro já foram aplicadas 12.771 doses de vacina contra a Poliomielite, que trata-se de uma gotinha para crianças de 0 a 4 anos. Vale destacar que em Campinas existem 58.803 crianças nesta faixa etária e a cobertura vacinal está em 21,7%. A meta é chegar a 95% de cobertura na cidade.
A campanha tem como objetivo reduzir o risco de reintrodução da poliomielite no país; facilitar o acesso às vacinas; atualizar a situação vacinal; aumentar as coberturas vacinais; e diminuir a incidência das doenças que já contam com vacinas.
Já a multivacinação quer atualizar as carteiras vacinais de crianças e adolescentes menores de 15 anos. O objetivo é atingir a meta de cada vacina recomendada para esta faixa etária. Entre as vacinas estão tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), tríplice não viral e pentavalente.
Para evitar aglomerações, é permitido apenas um acompanhante por criança e adolescente a ser vacinado. As salas de vacina foram organizadas com protocolos de higienização e para manter o distanciamento social. Pessoas com suspeita ou caso confirmado de Covid-19 ou ainda aquelas que foram expostas a casos suspeitos ou confirmados não devem comparecer às unidades de saúde.

Escrito por:

Gilson Rei