Publicado 16/10/2020 - 07h39 - Atualizado 16/10/2020 - 07h39

Por Henrique Hein

A Maria Fumaça irá operar novamente no Centro Cultural de Jaguariúna, com a limitação de 50% da capacidade máxima de passageiros

Divulgação

A Maria Fumaça irá operar novamente no Centro Cultural de Jaguariúna, com a limitação de 50% da capacidade máxima de passageiros

A flexibilização do Plano SP levou a Maria Fumaça de volta a Jaguariúna. A Prefeitura da cidade publicou ontem um decreto para adequar as regras da quarentena do novo coronavírus à progressão da região para a fase verde do Plano São Paulo de retomada das atividades no Estado. Entre as medidas mencionadas estão a liberação dos serviços de cultura, lazer e entretenimento, inclusive da Maria Fumaça, com embarques e desembarques no Centro Cultural.
O decreto também prevê que todos os serviços de atendimento ao público do município sejam retomados a partir da próxima segunda-feira e que os parques públicos sejam reabertos desde que a cidade permaneça por 15 dias na fase verde. 
Ainda de acordo com o documento, os serviços de cultura, lazer e entretenimento, inclusive a Maria Fumaça, poderão funcionar com a utilização limitada a 50% da capacidade máxima. Os espaços ainda serão obrigados a manter as medidas básicas de prevenção, como distância mínima segura entre pessoas e controle do acesso dos clientes. O decreto ainda permite o funcionamento dos estabelecimentos comerciais e prestadores de serviço até ás 22h e mantém todas as medidas de restrição no atendimento presencial e de prevenção à disseminação do novo coronavírus.
Aulas presenciais
Na última terça-feira, a Prefeitura de Jaguariúna também publicou um decreto que mantém suspensas as atividades pedagógicas presenciais nos estabelecimentos públicos e privados de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio e educação de jovens e adultos da cidade. Segundo o documento, o retorno gradual das atividades presenciais "dependerá da análise dos dados científicos relacionados à capacidade e ocupação do sistema de saúde, bem como, da evolução epidemiológica (número de casos de contágio, internações e óbitos". As medidas serão reavaliadas pelo Governo Municipal no dia 16 de novembro.

Escrito por:

Henrique Hein