Publicado 06/10/2020 - 07h53 - Atualizado 06/10/2020 - 07h53

Por Alenita Ramirez

Local onde o menino de 10 anos foi atropelado quando vendia balas para poder comprar um videogame

Wagner Souza/AAN

Local onde o menino de 10 anos foi atropelado quando vendia balas para poder comprar um videogame

Um grupo de estudantes do 4º semestre do curso de Educação física do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), em Hortolândia, lançou uma vaquinha on-line para ajudar a família de André Ricardo da Silva de Brito, de 10 anos, a comprar um videogame. O garoto foi atropelado no último dia 28, enquanto vendia balas em um semáforo do Jardim Amanda 1, a alguns quarteirões de sua casa. De acordo com o pai, a criança queria um Playstation e decidiu trabalhar para juntar dinheiro para comprar o aparelho.
De acordo com os estudantes, todo o valor arrecado com a campanha será destinado aos familiares da criança. A meta é conseguir R$ 3.050,00. Até ontem, já tinham arrecadado R$ 1.803,00 em doações. A campanha é feita por meio do site vakinha, no link http://vaka.me/1425772. "Eu não esperava essa ajuda. É uma surpresa", disse o autônomo Wellington de Brito, de 34 anos.
André é o segundo de quatro filhos. A família paga aluguel e tem passado por dificuldades financeiras durante a pandemia. Como queria um videogame e o pai não tinha condições de comprar o aparelho, ele e o irmão de 12 anos, além de um primo na mesma faixa etária, foram vender balas no semáforo da Avenida Santana, uma das mais movimentadas do bairro. Eles estavam na companhia de uma tia, responsável por todos.
No dia do acidente, o semáforo estava fechado para os carros e a criança cruzava a avenida para oferecer balas aos motoristas quando um motociclista de 19 anos furou o semáforo, no corredor dos veículos, e atingiu o menino. Ele foi socorrido por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado pelo helicóptero Águia da Polícia Militar ao Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, onde está internado em estado grave. "Ontem (domingo) ele mexeu as pernas e tossiu. Sinal de que está se recuperando. Foi uma emoção muito grande", disse o pai, que estava ao lado do filho no momento das reações.
A doação pode ser feita de forma on-line, por meio do endereço eletrônico, e qualquer valor é aceito.

Escrito por:

Alenita Ramirez