Publicado 03/11/2020 - 06h00 - Atualizado 29/10/2020 - 15h59

Por Do Correio

Homenagem a D. Agnelo Rossi

Reprodução

Homenagem a D. Agnelo Rossi

CARDEAL ROSSI RECEBE EXPRESSIVA HOMENAGEM
Toda Joaquim Egídio, o distrito campineiro foi à Capela de São Joaquim levar seu até logo ao seu mais ilustre filho, o Cardeal Agnello Rossi, que ainda ontem transmitia o Arcebispado de São Paulo a seu sucessor, Dom Paulo Evaristo Ari. Centenas de pessoas participaram da Celebração da Santa Missa seguida de outras homenagens. A seguir, na colonia de férias do Banco Comercio e Industria do Estado, foi servido um coquetel ao recém nomeado Prefeito da Sagrada Congregação para a Evangelização dos Povos. O Prefeito Municipal se fez representar por seu Chefe de Gabinete, sr. Geraldo César Bassoli Cesare; estando ainda presentes o deputado federal Francisco Amaral e o sub-prefeito do Distrito, Osvaldo Sartori.
 
PLANO SUBVERSIVO PROVOCA ONDA DE PRISÕES
Um plano subversivo de grandes dimensões que ao que se sabe deveria ser posto em prática nos próximos dias, provocou durante o fim de semana a ação de elementos dos organismos de Segurança, que numa autêntica onda de prisões detiveram diversos elementos na Guanabara, Recife, São Paulo e Rio Grande do Sul. As informações, em caráter extra-oficial, dão conta de que religiosos, jornalistas, e professôres estão envolvidos. Ao que se sabe, esta ação teria também se extendido a região de Campinas.
 
INCÊNDIO EM BAILE MATA 144 JOVENS FRANCESES
O salão de baile onde 144 pessoas pereceram num incêndio domingo nunca tinha obtido autorização do Departamento de Bombeiros para funcionar como local público, segundo informou um inspetor hoje. A maioria das vitimas eram jovens que morreram empilhados ante as saídas fechadas com cadeados. Jean Plantier, o inspetor encarregado de prevenção contra os incendios na região disse: "Meu departamento nunca emitiu uma autorização para a abertura do salão ao público". As autoridades reafirmaram hoje que a maioria das saídas de emergência do local estavam fechadas a chave. A entrada principal tinha uma porta giratória que somente abria para dentro. Aparentemente a administração do salão pretendia impedir assim o acesso de pessoas sem entrada. Acredita-se que umas 50 das vitimas se encontravam num balcão ouvindo o grupo musical de Rock "The Storm" quando começou o incendio.

Escrito por:

Do Correio