Publicado 25/10/2020 - 06h00 - Atualizado 23/10/2020 - 15h17

Por Do Correio

O sorridente D. Agnelo Rossi

Reprodução

O sorridente D. Agnelo Rossi

UM CAMPINEIRO EM ROMA. É O 3º DA IGREJA
Sempre sorridente, de óculos e gordas maçãs do rosto, assim é d. Agnelo Rossi aquêle que nasceu aqui em Campinas, no distrito de Joaquim Egídio e que hoje passa a ocupar o terceiro posto da Igreja Católica em Roma, ou seja, o segundo depois do Papa. O ex-garoto de Joaquim Egídio, família humilde, é o primeiro cardeal latino-americano a dirigir uma congregação ou Departamento da Cúria Romana, corpo administrativo central da Igreja. A Congregação Vaticana para Evangelização dos Povos é um dos mais importantes órgãos da Igreja, tendo sob sua supervisão cerca de 900 dioceses e prelázias na América, África e Ásia. D. Agnelo alcança assim, na sua notável carreira eclesiástica, uma posição de destaque e que mais uma vez vem a consolidar uma trajetória irretorquível a que se destinou o menino de Joaquim Egídio.
 
BRASIL QUER UMA ONU MAIS ATUANTE
O chanceler do Brasil, Mário Gibson Barboza, falando em nome do grupo latino-americano de 23 nações, renovou a promessa de lealdade à carta das Nações Unidas e sua "inquebrantável determinação" de continuar com o meticuloso cumprimento dos princípios da Organização Mundial. Gibson Barbosa disse que as nações latino-americanas lamentavam que "a íntima inter-relação entre os conceitos de segurança internacional, desarmamento e desenvolvimento econômico" não tenha sido reconhecida de "forma mais positiva" nos documentos adotados hoje. Acrescentou que "tais documentos, inclusive o relacionado com a estratégia da segunda década de desenvolvimento, nos indicam a distância que ainda estamos de nossos objetivos".
 
ALLENDE TOMA POSSE NO DIA QUATRO
O Senador Salvador Allende, líder da esquerda unida, se converteu esta manhã em presidente da República Chilena e primeiro chefe de Estado marxista livremente eleito. Vencedor por maioria relativa na eleição de 4 de setembro Allende obteve confirmação do Congresso por 153 sufrágios contra 35 ao candidato conservador Jorge Alessandri e sete votos em branco. Sucede a frente dos destinos do Chile ao presidente democrata cristão Eduardo Frei, sucessor por sua vez, desde 1964, do conservador Alessandri. Desde há uma semana, a eleição pelo Congresso do líder socialista se dava por certa.

Escrito por:

Do Correio