Publicado 22/10/2020 - 06h00 - Atualizado 21/10/2020 - 15h07

Por Do Correio

Vista interna do Solar dos Alves

Reprodução

Vista interna do Solar dos Alves

LAUDO DE VISTORIA DO SOLAR DOS ALVES
O Serviço de Fiscalização de Obras Particulares do Departamento de Urbanismo da Prefeitura Municipal de Campinas acaba de concluir o laudo de vistoria do prédio 1.053 da rua Barreto Leme, Solar dos Alves, e que nestes últimos tempos vem sendo o principal assunto na cidade, notadamente após o desmoronamento de suas paredes após as últimas chuvas que se precipitaram sobre a cidade. Ainda ontem em nossa edição publicamos informações sobre o processo do Solar dos Alves, quando anunciamos a ida à São Paulo, do Secretário dos Negócios Internos e Jurídicos da Municipalidade, que trataria com o Secretário de Turismo do Estado, sr. Paulo Pestana, sobre o problema que o prédio vem causando a Campinas. Informa-se no Palácio dos Jequitibás que o prefeito Orestes Quércia deverá tomar conhecimento do laudo.
 
CHANCELER GIBSON: BRASIL CONFIA NA ONU
 
Em nome do govêrno brasileiro - divulgou o Itamarati - o chanceler Mário Gibson Barbosa declarou, hoje, durante a sessão especial comemorativa do 25.o aniversário da ONU que, não obstante os desapontamentos que experimentamos nesses últimos 25 anos, as Nações Unidas continuam a ser o eixo do esforço comum para conciliar os interesses dos Estados e superar o subdesenvolvimento econômico e o subdesenvolvimento tecnológico. "O Brasil está empenhado na reformulação de todos os setores de sua vida nacional, para apressar um crescimento que já se faz num ritmo acelerado e que se combina com um esforço de integração social e em todo o seu território", disse o ministro das Relações Exteriores.
 
PAPA PAULO VI CONDENA VIOLÊNCIA
Sua Santidade o Papa Paulo VI condenou severamente hoje o sequestro de pessoas e aviões, roubos à mão armada e o tráfico de narcóticos, qualificando-os de inqualificáveis delitos. Afirmou também que a brutalidade policial e as torturas em certo 'grande país' eram inadmissíveis e intoleráveis. Não mencionou o país mas suas palavras foram interpretadas como alusivas ao Brasil. O Sumo pontífice falava a milhares de pessoas concentradas na Basílica de São Pedro durante sua audiência geral semanal. O Papa disse que os brutais métodos da polícia e a tortura devem ser abertamente condenados.

Escrito por:

Do Correio