Publicado 06/09/2020 - 09h00 - Atualizado 05/09/2020 - 17h07

Por Da Redação da Metrópole

André Luis Lopes, de 29 anos, e o pai, Adão Lopes, escreveram um livro especial

Arquivo pessoal

André Luis Lopes, de 29 anos, e o pai, Adão Lopes, escreveram um livro especial

Todos os dias, há anos, pontualmente às 6h, nem um minuto antes e muito menos um minuto depois, André Luis Lopes, um jovem de 29 anos, e seu pai, o empresário Adão Lopes, saem para fazer uma caminhada juntos. Não mais do que uma hora. Porém é um tempo sagrado para exercitarem o corpo e, principalmente, a alma, conversando, trocando ideias e cultivando laços entre pai e filho. Até aí, parece ser uma atividade prosaica, despretensiosa e comum entre pais e filhos que têm bom relacionamento e se preocupam com a saúde física e mental.
Entretanto, as caminhadas de André e Adão foram muito, mas muito além dos poucos quilômetros que eles percorrem, em geral por locais calmos de Leme ou de Araras, onde vivem os familiares de ambos. Essas horas e percursos juntos resultaram em longas conversas e trocas de ideias, visões de mundo, aprendizados, momentos de emoção, de descoberta, até mesmo de algum conflito, e resultaram num livro sobre a vida, numa dimensão e contextos bastante inspiradores.
André nasceu prematuro e lutou pela vida desde seus primeiros instantes de existência. É portador da Síndrome de Asperger, que integra o chamado TEA (Transtorno de Espectro do Autismo), cujas características são, por exemplo, dificuldade para comunicação e para interações sociais, alterações comportamentais, como apego excessivo a rotinas, ações repetitivas, interesse intenso em coisas específicas, dificuldades de imaginação, entre outras. Todas essas dificuldades não impediram o jovem de buscar sempre uma vida plena e feliz, dentro de sua condição, enfrentando, entretanto, os obstáculos inerentes a uma sociedade que por muitos e muitos anos ou ignorou, ou negligenciou os direitos e o potencial das pessoas especiais.
A luta pelo desenvolvimento e conquista do máximo de autonomia para o filho, bem como a busca por uma educação inclusiva e pela construção de sua autoconfiança, fizeram com que o pai e o próprio jovem desenvolvessem uma relação muito próxima e cheia de cumplicidade. “Conviver em casa, cuidar de si próprio e do lugar onde vive, aprender a se alimentar corretamente, a se vestir, desenvolver o aprendizado escolar, aprender a executar tarefas, que para muitos podem ser corriqueiras, sempre exigiu de André um imenso esforço de adaptação e integração”, conta Adão.
Contrariando expectativas pessimistas e preconceitos, André cresceu, concluiu os ensinos Infantil, Fundamental e Médio. Aprendeu os autocuidados básicos e seguiu avançando.
Aos 19 anos, passou a trabalhar com os avós, vendendo e entregando milho verde em Araras, Leme e região. Para facilitar a logística do dia a dia do serviço passou a morar com os avós. “Ele desenvolveu grande afeição pelo trabalho, por ser útil, por ganhar seu próprio dinheiro, mesmo que em valores modestos”, conta.
Foi então que André contou ao pai que queria registrar no papel a história dele e o relacionamento com o pai, e com as pessoas que o ajudaram. Foi assim que toda essa jornada acabou transformada no livro Além dos Limites – Passos de uma caminhada eficiente (212 páginas, publicação independente). A edição, que tem organização, produção editorial e prefácio do escritor, palestrante e Life Coaching Walter Quintana, narra a visão de mundo de André, transmitida e traduzida pelo pai, sobre conceitos essenciais para a compreensão e o exercício de uma vida plena, tais como: bondade, generosidade, amor, humildade, paz, perseverança, privilégio, responsabilidade, salvação. “André e eu escrevemos juntos este livro e combinamos apresentar e contar a verdade, apesar de nossas deficiências. Contar a vida como ela é, em sua crueza de detalhes, mas também em sua exuberância de ensinamentos que ganhamos um com o outro”, afirma Adão.

Escrito por:

Da Redação da Metrópole