Publicado 18/09/2020 - 13h04 - Atualizado 18/09/2020 - 19h13

Por Alenita Ramirez/AAN


Wagner Souza / AAN

A infestação de escorpiões em residências localizadas em uma área verde do Jardim Paraíso de Viracopos, no distrito do Ouro Verde, em Campinas, tem deixado os moradores amedrontados. Os animais invadem as casas que ficam próximas a um rio que corta o bairro e colocam em risco a segurança, principalmente das crianças, que são em grande número pelo local. Para minimizar a presença indesejada dos escorpiões, os moradores estão criando galinhas, um dos predadores dos animais.
Segundo a presidente da Casa da Sopa, associação beneficente do Jardim Paraíso de Viracopos, Benedita Aparecida Franco de Camargo, os moradores usaram inseticidas no combate, mas como a infestação não diminuiu, decidiram apenas pela criação de galinhas. “A gente não sabe o que faz. A gente mata um e aparece mais. Esses dias, matei três em um buraco no muro. Inseticida ajuda, mas não termina. Eles aparecem em vasos de plantas, em buracos no muro. Tem que tomar muito cuidado quando levanta a noite, para não ser picado”, disse Benedita.
A vendedora ambulante Kamily Andreza Major, de 37 anos, se mudou para o bairro há três meses e já capturou três animais em sua casa. Em uma das situações, o escorpião estava escondido em uma tampinha de garrafa pet e o animal foi descoberto após o marido dela chutar o objeto, que estava no alcance do filho de um ano e quatro meses. “Foi um livramento. Meu filho ia pegar a tampinha para colocar na boca, mas meu marido correu e a chutou. O escorpião estava debaixo dela e não tínhamos visto”, disse.
No final da manhã desta quinta-feira (17), o casal estava em casa quando avistou no quintal, em um buraco no muro, dois animais, que focam capturados e colocados em um recipiente com veneno. “Dá muito medo. A gente tem criança e o risco é muito grande dos animais picarem”, falou.
Em nota, a Prefeitura informou que não há notificação de moradores na Zoonoses e que não se deve usar veneno para matar escorpião, segundo recomendação do ministério da saúde. Também disse que é feito um trabalho de orientação de como se prevenir. “A população pode ligar para o 156 em caso de infestação por escorpião”, frisou.
O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) disse que o que atrai os animais peçonhentos, entre outros fatores, estão o acúmulo de materiais e locais com fonte de alimentos. “O escorpião amarelo, por exemplo, que tem predominado nas cidades, circula mais em galerias pluviais e por redes de esgoto. Importante que as pessoas mantenham as casas e os quintais limpos, sem entulho, com as entradas e passagens de portas, tomadas, ralos, grelhas e outros, bem vedados. Em caso de acidente com animais peçonhentos, procurar imediatamente por atendimento médico”, frisou.
De acordo com o Devisa, o morador também deve seguir algumas medidas como manter limpos quintais, jardins e terrenos baldios, não acumulando entulho e lixo doméstico; aparar a grama dos jardins e recolher as folhas caídas; examinar roupas, calçados, toalhas e roupas de cama antes de usá-las; manter caixas de gordura bem vedadas. Colocar o lixo em sacos plásticos, que devem ser mantidos fechados para evitar o aparecimento de baratas, moscas e outros insetos, que são o
alimento predileto dos escorpiões e andar sempre calçado e usar luvas de raspa de couro ao trabalhar com material de construção e lenha.

Escrito por:

Alenita Ramirez/AAN