Publicado 16/09/2020 - 13h31 - Atualizado 16/09/2020 - 13h39

Por Maria Teresa Costa

Segundo o presidente do partido, Márcio Chaib, apenas integrantes da executiva podem participar da convenção, e ela ocorreu seguindo a decisão judicial

Reprodução

Segundo o presidente do partido, Márcio Chaib, apenas integrantes da executiva podem participar da convenção, e ela ocorreu seguindo a decisão judicial

A Polícia chegou a ser acionada para controlar confusão na convenção do Partido Progressista (PP) de Campinas, nesta manhã, quando a legenda referendou o apoio à candidatura do deputado estadual Rafa Zimbaldi (PL) a prefeito de Campinas. Um grupo de filiados tentou participar da convenção, mas foi impedido, o que gerou tumulto. Segundo o presidente do partido, Márcio Chaib, apenas integrantes da executiva podem participar da convenção, e ela ocorreu seguindo a decisão judicial.
É a segunda vez este mês que o PP faz convenção. A primeira, na semana passada, foi anulada pela Justiça Eleitoral. Em decisão liminar, o juiz Fabio Varlese Hillal, da 33ª Zona Eleitoral, determinou realização de novo encontro e a inclusão de membros da executiva que tinham sido impedidos de participar, com a recondução de duas filiadas da legenda à executiva.
Na convenção de ontem, acabaram ocorrendo duas votações. Na primeira, houve empate, por 10 a 10. Na discussão do segundo item, definição dos candidatos a vereador, Chaib alertou que nenhum dos pré-candidatos cumpriu a regra de registrar a intenção de disputar a eleição, o que levaria o partido a não ter candidatos à Câmara. Houve discussão, e acabou sendo definida nova votação, dessa vez com resultado de 10 a zero – os contrários à coligação com Rafa se abstiveram, e a chapa de vereadores também foi aprovada.
A tensão no PP ocorre já há 20 dias, quando houve mudança no diretório local. O então presidente, vereador Tenente Santini, deixou o comando do partido, após decidir que não concorria a prefeito e nem tentaria a reeleição. Chaib retomou a presidência do diretório. Desde então vem ocorrendo um embate judicial, com denúncias de que alguns integrantes da nova executiva não tinham 30 dias de filiação partidária – esse tempo é exigência do regimento da legenda – e também que membros da antiga executiva teriam sido impedidos de participar da convenção de 11 de setembro.
No encontro de hoje, por 10 votos a zero, segundo Chaib – o PP manteve a decisão de apoio a Rafa Zimbaldi e homologou a chapa de 50 candidatos à Câmara de Campinas nas eleições de novembro. Integrantes do partido, que não concordam com essa decisão, informaram que irão novamente à Justiça.
O PSD, que tem como candidato a prefeito Artur Orsi, e que esperava que a convenção do PP pudesse definir coligação com a legenda e assim ter Major Jaime candidato a vice na chapa, vai agora procurar um nome do próprio PSD para vice.

Escrito por:

Maria Teresa Costa