Publicado 28/08/2020 - 06h00 - Atualizado 27/08/2020 - 14h55

Por Do Correio

Av. Sen. Saraiva no Viaduto Cury

Reprodução

Av. Sen. Saraiva no Viaduto Cury

UM TRÁFEGO MAIS DISCIPLINADO PARA O VIADUTO
Ontem na Delegacia de Transito, na mesa do delegado Adolpho Magalhães Lopes, um ofício. Em síntese êle diz: - Lions Clube de Campinas-Sul oferece numero limitado de painéis e placas ao tráfego na cidade, nos pontos que as autoridades escolherem. O delegado Adolpho, feliz com a doação, porá em prática um plano que êle tinha em mente realizar já há algum tempo e não o colocou até então, por falta de material. Nas novas alterações, uma reivindicação antiga: a Campos Sales vai continuar abrigando os coletivos e seus pontos normais de paradas para o desce e sobe passageiro. Mas, com uma novidade: nenhum ônibus poderá ultrapassar o outro. Uma atenção especial foi dedicada para o conjunto de artérias que formam o Viaduto "Miguel Vicente Cury". Dois painéis serão utilizados para a orientação dos motoristas. O 1° deles será colocado após a praça Marechal Floriano Peixoto e na bifurcação entre a pista que leva aos altos do Viaduto.
 
PREÇOS JUSTOS DO CAFÉ PARA PRODUTORES
O IBC divulgou o texto de uma declaração que o sr. Mário Penteado de Faria e Silva, Presidente do Instituto distribuiu hoje em Londres, criticando as manobras baixistas dos intermediários especuladores contra a economia dos países produtores de Café. É a seguinte a íntegra das declarações do chefe da delegação brasileira à reunião da OIC: "O Brasil sempre acreditou na validade de convênios internacionais de produtos de base de singular exemplo no caso do café. Durante oito anos respeitou literalmente as disposições do Convênio, mesmo aceitando o preço de inadimplemento de obrigações, tanto de parte de alguns produtores, quanto de alguns consumidores. As perdas sofridas pelo Brasil, pelo excesso de exportações de alguns países e pela demora de se porem em execução controles efetivos, sobem a uma soma vultosa. "
 
ATENTADOS TERRORISTAS LEVAM PÂNICO AO URUGUAI
Vários atentados estudantis sacudiram ontem à noite esta capital, já convulsionada pelo sequestro de funcionários estrangeiros e sucessivos atos terroristas dos Tupamaros durante os últimos dias. Gritando slogans contra o govêrno do presidente Jorge Pacheco, grupos de jovens estudantes escolheram como alvo preferido nesta oportunidade três órgãos de difusão, contra os quais jogaram várias bombas incendiárias que provocaram graves danos nas fachadas dos edifícios e queimaduras, ainda que não graves, em duas pessoas. A onda de atentados começou contra o canal de televisão "SAETA TV 10".

Escrito por:

Do Correio