Publicado 20/07/2020 - 14h29 - Atualizado // - h

Por Maria Teresa Costa

O HC da Unicamp é um desses centros e deverá iniciar os testes dentro de 20 a 30 dias

Divulgação

O HC da Unicamp é um desses centros e deverá iniciar os testes dentro de 20 a 30 dias

A vacina chinesa Coronavac, contra a Covid-19, começará a ser testada amanhã no Hospital de Clinicas de São Paulo em 890 voluntários médicos e paramédicos. As vinte mil doses chegaram na madrugada de hoje em São Paulo e começarão a ser distribuída aos 12 centros brasileiros que participarão dos testes clínicos do imunizante com 9 mil voluntários. O HC da Unicamp é um desses centros e deverá iniciar os testes dentro de 20 a 30 dias, assim que a estrutura do local estiver pronta, e vistoriada pela equipe do Instituto Butantan.
O estudo clínico da vacina no HC da Unicamp vai envolver 500 profissionais de saúde, que são voluntários para a terceira fase da vacina, segundo informou, na semana passada, o coordenador do projeto, Francisco Aoki. Metade dos voluntários receberá placebo e outra metade, a vacina. Esse estudo avaliará a eficácia e segurança da vacina contra a Covid-19.
O governador João Doria (PSDB) disse hoje, em live, que a estimativa é concluir todo o estudo da fase 3 de testes em até 90 dias. Procedimentos similares, informou, serão feitos em outros centros de pesquisas brasileiros. Os testes serão acompanhados por uma comissão de pesquisadores internacionais, informou. “Se tivermos sucesso, a vacina será produzida no Instituto Butantã, já no início do ano, com mais de 120 milhões de doses", disse.
O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que o Brasil poderá ter a primeira vacina a ser usada em massa e essa perspectiva é muito favorável. “A vacina hoje é a mais avançada em termos de histórico, porque é uma tecnologia já conhecida, o que nos dá uma vantagem competitiva. Não que estejamos numa competição. A competição é contra a epidemia. Essa vantagem nos dá uma esperança de vacinar a nossa população”, afirmou. Covas disse que o site do governo, onde os voluntários fizeram a pré-inscrição, recebeu até sábado mais de 1 milhão de acessos. “Isso mostra a importância deste projeto e a importância dos centros de pesquisa que participam”, disse.

Escrito por:

Maria Teresa Costa