Publicado 28/07/2020 - 14h50 - Atualizado // - h

Por Estadão Conteúdo

Meu Nome É Bagdá</CF>, vencedor do prêmio Generation, no Festival de Berlim deste ano, faz sua pré-estreia na sessão das 20h de sábado, 1º

Divulgação

Meu Nome É Bagdá, vencedor do prêmio Generation, no Festival de Berlim deste ano, faz sua pré-estreia na sessão das 20h de sábado, 1º

Um novo cinema drive-in, gratuito e apenas com filmes brasileiros, chega a São Paulo no próximo sábado, dia 1º de agosto. Trata-se do Drive-In Paradiso, iniciativa filantrópica do Instituto Olga Rabinovich, com a Secretaria Municipal de Cultura, a Spcine, parceria do Cine Autorama e apoio da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). A nova "sala" de cinema ao ar livre será no estacionamento da Alesp, no Ibirapuera.
A programação com curadoria de Marina Person se focou em produções nacionais, como Bacurau (2019) e Elis (2016). Serão 100 carros por sessão, e os ingressos devem ser reservados pelo Sympla. Cada carro pode ter até quatro pessoas.
Uma das atrações dos primeiros dois dias é a pré-estreia do longa de Caru Alves, de Souza, Meu nome é Bagdá, vencedor do prêmio do júri na mostra Generation do Festival de Berlim neste ano. As sessões serão realizadas aos sábados e domingos, às 17h, 20h e 23h.
Antes dos longas, haverá a exibição de curtas-metragens produzidos por cineastas das periferias de São Paulo para o projeto Curta em Casa - realizado durante a pandemia pelo Projeto Paradiso em parceria com o Instituto Criar de Cinema, TV e Novas Mídias e a Spcine.
A programação abre dia 1º, às 17h, com a sessão #vidasnegrasimportam, apresentando o filme Café com Canela (2017), direção de Glenda Nicário e Ary Rosa. O filme se ambienta no recôncavo da Bahia. Margarida, vive em São Félix isolada pela dor da perda do filho. Violeta segue a vida em Cachoeira, entre adversidades do dia a dia e traumas do passado. Quando elas se reencontram, inicia-se um processo de transformação, marcado por visitas, faxinas e cafés com canela, capazes de despertar novos amigos e antigos amores.
No sábado, às 20h tem a pré-estreia de Meu Nome É Bagdá, de Caru Alves de Souza. Inspirado no livro Bagdá, o Skatista, de Toni Brandão, conta a história de Bagdá (Grace Orsato) uma jovem skatista de 16 anos que passa os dias ao lado dos amigos, fazendo manobras na pista local, fumando maconha e jogando baralho. Aos poucos ela se aproxima de Vanessa (Nick Batista), estimulada a participar do grupo. Juntas, elas conhecem outras meninas skatistas e estreitam laços de amizade.
Fechando a programação de sábado, às 23h tem a sessão Clássicos Brasileiros, apresentando Central do Brasil (1998), de Walter Salles. No longa, Dora (Fernanda Montenegro) trabalha escrevendo cartas para analfabetos na estação Central do Brasil, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Ainda que a escrivã não envie todas as cartas que escreve - as que considera inúteis ou fantasiosas demais -, ela decide ajudar um menino (Vinícius de Oliveira), após sua mãe ser atropelada, a tentar encontrar o pai que nunca conheceu, no interior do Nordeste.
No domingo, 2 de agosto, às 17h, tem a Sessão Infantil, exibindo o filme As Aventuras do Avião Vermelho, direção de Frederico Pinto e José Maia. Às 20h, tem a sessão Biografias Musicais, apresentando Elis (2016), direção de Hugo Prata. A sessão das 23h, traz a série Grandes Comédias, com o longa De Pernas pro Ar 3 (2018), direção de Julia Rezende, com Ingrid Guimarães. 

Escrito por:

Estadão Conteúdo