Publicado 10/07/2020 - 06h00 - Atualizado 09/07/2020 - 15h06

Por Do Correio

Mesa que presidiu as solenidades

Reprodução

Mesa que presidiu as solenidades

SOLENES HOMENAGENS À DATA CONSTITUCIONALISTA
O dia de ontem foi registrado por expressivas solenidades promovidas pela Associação dos Veteranos de 32 - M.M.D.C. - Seção de Campinas, em homenagem à Revolução Constitucionalista. Na parte da manhã os ex-combatentes foram à São Paulo, onde participaram das festividades acontecidas, tarde, às 4 horas, foi celebrada missa no Monumento-Túmulo, no Cemitério da Saudade, pelo Padre Gil Correia Machado, ex-combatente de 1932, atualmente no Rio de Janeiro, onde exerce as funções de Capelão da Marinha. Campineiro de nascimento, foi convidado pela Associação para celebrar o ato campal. Grande numero de pessoas ali presentes. A Banda do 8.o B.P., sob o comando do tenente Elder Meneghetti executou "Paris-Belfort", o grito de guerra de 32, a Marcha do Expedicionário, de Spartaco Rossi e Guilherme de Almeida. O Hino Nacional também foi executado.
 
CAMPANHA CONTRA ACIDENTES DE TRÂNSITO NA CIDADE
Numa cidade grande como Campinas, onde o número de veículos cresce dia a dia, os acidentes de tráfego continuam sendo uma constante, com tendência igualmente para aumentar. De quem é a culpa dos acidentes, muitos envolvendo vítimas fatais? Do nosso sistema de trânsito ou dos motoristas? Há quem afirme serem os dois aliados um não perdendo para o outro. Difícil o dia em que a crônica policial não registra três ou mais casos de colisão de veículos e o que é sempre curioso: acontecem em ruas de menor movimento. Raro um acidente na rua Barão de Jaguara, Francisco Glicério, Conceição ou outras adjacentes.
 
ECONOMIA: BRASIL ESTÁ VENCENDO A INFLAÇÃO
O ministro da Fazenda, professor Delfim Neto, durante o despacho com o presidente da República, apresentou uma exposição sobre os resultados da economia brasileira nos primeiros seis meses do corrente ano, cujos indicadores são bastante razoáveis. O setor agrícola apresentando um crescimento da ordem de 8 a 9 por cento, o setor industrial em torno de 10 por cento, o que permite antever uma taxa anual de crescimento do produto interno bruto ao nível de 9 por cento, isto é, a terceira dentre as mais elevadas do mundo. Acrescentou o ministro que "podemos encarar o segundo semestre com confiança".

Escrito por:

Do Correio