Publicado 30/06/2020 - 11h42 - Atualizado 30/06/2020 - 11h42

Por Da Agência Anhanguera

Movimentação na Rua 13 de Maio, mesmo com o comércio fechado

Matheus Pereira/AAN

Movimentação na Rua 13 de Maio, mesmo com o comércio fechado

Campinas superou nesta terça-feira (30) a marca de 300 mortos por Covid-19 e ultrapassou o número de 8,2 mil pessoas infectadas pelo vírus. O balanço foi divulgado no final da manhã pela Secretaria de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico, a cidade registrou 21 mortes num período de 24 horas e chegou a 317 óbitos desde o primeiro registro, em 30 de março. Outros 24 ainda estão sob investigação.
Também nas últimas 24 horas, Campinas registrou 438 novos casos de contaminação e chegou a 8.286 casos confirmados da doença. Outros 579 ainda estão em investigação pelos técnicos da Saúde.
 
Campinas conta ainda com 387 pessoas internadas com Covid-19 e 1.051 estão em isolamento domiciliar. A cidade registra ainda 6.531 pessoas que se recuperaram da doença.
Três dos 21 mortos registrados nas últimas 24 horas não tinham as chamadas comorbidades – que são doenças associadas. Entre as vítimas estavam três homens, de 55, 51 e 22 anos e uma mulher de 53.
AS VÍTIMAS
– Homem, de 65 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 29 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Homem, de 75 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 19 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Homem, de 79 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 27 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Mulher, de 96 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 28 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Homem, de 61 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 21 de junho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Mulher, de 88 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 26 de junho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz
– Homem, de 91 anos, que não tinha outras doenças. Morreu no dia 21 de junho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Homem, de 55 anos, que não tinha outras doenças. Morreu no dia 26 de junho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Homem, de 64 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 28 de junho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Mulher, de 89 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 22 de junho em domicílio. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Homem, de 66 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 28 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Homem, de 83 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 23 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Homem, de 51 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 25 de junho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Homem, de 22 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 27 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Homem, de 82 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 27 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Mulher, de 79 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 22 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Mulher, de 74 anos, que não tinha outras doenças. Morreu no dia 31 de maio em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Mulher, de 67 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 23 de junho em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.
– Homem, de 63 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 30 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Mulher, de 75 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 28 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.
– Mulher, de 53 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 28 de junho em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera