Publicado 10/06/2020 - 07h49 - Atualizado 10/06/2020 - 07h49

Por Gilson Rei

O AME faz parte da rede estadual de saúde de Campinas, junto com o HC: ontem, havia apenas um leito livre

Cedoc/RAC

O AME faz parte da rede estadual de saúde de Campinas, junto com o HC: ontem, havia apenas um leito livre

Campinas registrou ontem nove mortes por Covid-19, o maior número de óbitos anunciados na cidade desde o início da pandemia, em março. Dentre as nove vítimas fatais, estão duas mulheres (de 67 anos e 83 anos) que foram contaminadas no lar de permanência de idosos Solar Viver Bem, na Rua Álvaro Ribeiro, no bairro Ponte Preta. Com as nove mortes confirmadas pelo prefeito Jonas Donizette (PSB), o município chega a 116 óbitos por Covid-19. Além das duas mulheres do lar, os outros sete óbitos confirmados são de seis homens (idades: 68; 81; 91; 79; 76; e 68) e mais uma mulher (de 71 anos).
As autoridades sanitárias informaram ainda que outros 28 óbitos estão em investigação. Com os números de ontem, Campinas chegou a 2.956 casos confirmados da Covid-19 e tem ainda 433 registros sob investigação. De acordo com o balanço, existem 189 pessoas internadas com a doença no município e 575 pessoas estão em isolamento domiciliar. A boa notícia é que 2.076 pacientes foram considerados curados.
As nove mortes informadas ontem são de seis homens: de 68 anos, com doenças preexistentes, que morreu em 6 de junho em hospital público; de 81 anos, com comorbidades, que morreu no último dia 4 em hospital público; 91 anos, que tinha outras doenças e morreu em 8 de junho em hospital privado; de 79 anos, com outras doenças, que também morreu dia 8 em hospital privado; de 76 anos, que tinha outras doenças e morreu em 8 de junho em hospital privado; e outro de 68 anos, sem comorbidades, que morreu em 4 de junho em hospital privado.
E de três mulheres: uma de 71 anos, que tinha doenças preexistentes e morreu em 6 de junho em hospital público; outra de 67 anos, que tinha outras doenças e morreu em 7 de junho em hospital privado; e uma de 83 anos, com outras doenças, que morreu dia 7 em hospital privado.
Lar de Idosos
Além das duas mulheres que perderam a vida pela doença anunciadas ontem pelo prefeito, o Solar Viver Bem já registrou outras três mortes por Covid-19 entre os dias 20 e 29 de maio — de mulheres residentes (de 91 anos e duas de; 87 anos).
O local contabiliza cinco mortes por coronavírus e soma confirmações da doença em outras 15 pessoas, sendo 12 residentes e três funcionários. Nove idosos estão em isolamento no próprio abrigo e três estão internados em hospitais. Os três funcionários estão afastados.
O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) da Prefeitura acompanha e monitora a situação no Solar Viver Bem desde a primeira notificação, ocorrida no dia 19 de maio. Segundo o Devisa, o local possui licença sanitária para funcionamento. Ao todo, o espaço oferece tratamento para 27 idosos.
Avanço para o Interior preocupa Saúde
O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou ontem que o aumento de casos de Covid-19 em municípios do interior do País é o maior problema neste momento. A estratégia do governo, segundo ele, será usar estruturas ociosas em regiões metropolitanas e capitais. 
A declaração foi dada durante participação em reunião da Comissão externa que discute assuntos relacionados ao novo coronavírus. Após críticas de parlamentares e sociedade civil, o ministro prestará esclarecimentos sobre as mudanças na divulgação de dados relacionados à pandemia no País.
O ministro afirmou que o impacto da doença em regiões metropolitanas e capitais já aconteceu. Ainda, que, segundo estudos do Ministério da Saúde, o impacto da doença deverá ser menor no Centro e Sul do País. Contudo, afirmou que os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro são pontos fora da curva. (Agência Brasil)
Rede estadual tem 98% de ocupação de leitos de UTI
Campinas está com 80,28% de ocupação nos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes de Covid-19 nas unidades de atendimento médico municipal, estadual e particular. Dados fornecidos pela Prefeitura revelam que a cidade contava ontem com 284 leitos de UTI exclusivos. Desse total, 228 estavam ocupados. Portanto, há 56 leitos livres para atendimento, somando as redes pública e particular.
A rede municipal possui 120 leitos UTI, dos quais 112 estão ocupados, o que equivale a 93%. Já na rede estadual (AME + Hospital de Clínicas da Unicamp) existiam 41 leitos, dos quais 40 estavam ocupados (98%). A situação está mais confortável nos leitos de UTI da rede particular, que a Prefeitura contratou para atendimento à população: dos 123 leitos, 76 estavam ocupados (62%).
O secretário de Saúde, Carmino de Souza, informou que a situação está sob controle porque foram incorporados 32 leitos de UTI entre sexta-feira passada e ontem. Souza informou também que houve a contratação da Prefeitura junto a dois hospitais privados, que vão ampliar a oferta. Um dos contratos foi com o Hospital Metropolitano, que vai disponibilizar mais 15 leitos UTI, e a outra contratação é com a Santa Casa, que vai ampliar em mais 20 leitos de UTI.
Além disso, o secretário afirmou que no HC da Unicamp, o Governo de São Paulo autorizou a abertura de mais 18 leitos UTI e de mais 15 leitos UTI deverão ser abertos no AME, pois foram entregues pelo Governo de São Paulo mais 15 respiradores para aunidade.
BALANÇO COVID-19
CAMPINAS
CONFIRMADOS - 2.956
SUSPEITOS - 433
RECUPERADOS - 2.076
ÓBITOS - 116
CAPITAL
CONFIRMADOS - 84.862
SUSPEITOS - 222.007
RECUPERADOS - N/D
ÓBITOS - 5.118
ESTADO DE SÃO PAULO
CONFIRMADOS - 150.138
SUSPEITOS - N/D
RECUPERADOS - N/D
ÓBITOS - 9.522
*Informações da Prefeitura Municipal de Campinas e da Secretaria de Estado da Saúde

Escrito por:

Gilson Rei