Publicado 11/06/2020 - 06h00 - Atualizado 10/06/2020 - 15h15

Por Do Correio

Material de uso da artilharia

Reprodução

Material de uso da artilharia

GUARNIÇÃO MILITAR COMEMORA DIA DA ARTILHARIA
Com solenidades nas unidades militares locais, foi comemorado ontem o "Dia da Artilharia", efeméride que coincide êste ano com o centenário do general Emilio Luiz Mallet, patrôno da arma no Exército Brasileiro, que reverenciou a memória do líder militar com uma série de festividades em todo o território nacional. O ponto alto em Campinas, foi a realização na Escola Preparatória de Cadetes do Exército de um programa especialmente elaborado em conjunto com o comando da Guarnição Militar, e que contou com a presença do general Uziel Almeida Costa, comandante da Artilharia Divisionária em substituição ao general Andrade Serpa. Pela Manhã, a unidade local da artilharia, o 5.o Grupo de Canhões 90, comandada pelo coronel Rubens Resstel, (também titular da Guarnição Militar) têve alvorada festiva com a tropa formada.
 
GOVERNO AGIRÁ CONTRA PREÇOS ALTOS
O governo vai agir contra as empresas comerciais e industriais que teimam em não transferir ao consumidor vantagens a elas proporcionadas sob as formas de dilatação de prazo para o cumprimento de obrigações fiscais; estabilização nos preços das matérias primas; e redução dos custos, através da baixa nas taxas de juros. Considerando que o procedimento "não se coaduna com o atual estágio de contenção do ritmo da inflação brasileira", o Ministro Delfim Netto, da Fazenda, determinou a adoção das seguintes providências: o Conselho Interministerial de Preços agirá no sentido de forçar as empresas que assim procederem a retroagir seus preços, da mesma forma como foi recentemente acertado com a industria de produtos de higiene.
 
ONGANIA NÃO SOUBE ALIVIAR TENSÕES SOCIAIS
O almirante Pedro Gnavi, presidente da Junta Militar que assumiu o poder na Argentina, depois da deposição do general Juan Carlos Ongania, prometeu um breve retorno ao regime republicano. Em mensagem dirigida à nação depois que os três comandantes-chefes assumiram formalmente o comando do país, Gnavi elogiou calorosamente Ongania pelas realizações de seus primeiros anos de govêrno, mas o criticou por não ter sabido depois aliviar as tensões sociais, o que se traduziu progressiva piora da situação e numa sensação de insegurança pública.

Escrito por:

Do Correio