Publicado 02/06/2020 - 06h00 - Atualizado 01/06/2020 - 12h43

Por Do Correio

José de Castro Mendes (esq.) e as crianças

Reprodução

José de Castro Mendes (esq.) e as crianças

AO MESTRE, COM TERNURA E SAUDADE
A garotinha tem pouco mais de sete anos, e cursa o primeiro ano do Primário. Desde os quatro anos conheceu José de Castro Mendes, o tio Zeca para as crianças, aprendeu a sentir-lhe a influência sutil e poderosa nas aulas de Pintura e Desenho. Êle era um professor amigo e interessado, paciente e bondoso. Tôdas as semanas lá estava conversando com as crianças, mostrando-lhes figurinhas curiosas de pequenos animais, de flores, de engraçados bonecos. Tio Zeca era alto e magro, um pouco sisudo. Falava pouco. Mas quem disse que as palavras são necessárias para comunicação com a infância? As crianças gostavam dele, tal como sempre fôra: um homem sério e um pouco calado, mas que desenhava maravilhosamente, que sabia fazer como ninguém, um elefante voador, um coelhinho de Páscoa, ou uma belezinha de mini-gente, como a Emilia, o Gato de Botas, ou a Bela Adormecida em seu castelo na floresta. Tôdas as semanas, pontualmente, lá estava o Tio Zeca. Paciente e calado, e contudo, solícito e querido de todos. Observava os borrões da criançada.
 
BRASIL TERÁ NOVA PLACA DE VEÍCULOS
A partir de amanhã, na capital, o DET já estará lacrando os veículos de licenciamento com o mês de junho, colocando nos autos, a nova placa cujo modêlo foi elaborado pela Presidência da República. Enquanto isso no Interior, o Departamento Estadual de Trânsito ainda não deliberou data oficial para o fornecimento dos novos modelos e dessa forma, tudo continuará como antes. Em Campinas, o delegado Adolpho Magalhães Lopes continua a licenciar veículos pelo sistema válido desde janeiro de 1970.
 
EXPORTAÇÃO: NOSSO CARRO CRUZA FRONTEIRAS
A concretização das negociações para exportar veículos de passeio, pela primeira vez no Brasil, foi saudada como um acontecimento. E de fato, para um país que lança mão de todas as facilidades fiscais e creditícias para incrementar o comércio exterior, mas que ainda exporta muito pouco de manufaturados, a colocação no Uruguai de automóveis, um produto que exige tecnologia avançada, não deixa de representar um marco significativo no "export-drive". A firma exportadora, a Volkswagen do Brasil, é o maior investimento alemão no Exterior, a maior fábrica de autoveículos da América Latina com quase mil unidades por dia e de 1957, início de fabricação, até março de 1970, produziu 943 mil carros, esperando chegar ao milionésimo no próximo dia 8 de julho.

Escrito por:

Do Correio