Publicado 17/05/2020 - 11h47 - Atualizado 17/05/2020 - 11h47

Por Da TV Press

Com protagonistas do primeiro time, a série Filhas de Eva é uma das apostas da Globo para o segundo semestre

Divulgação

Com protagonistas do primeiro time, a série Filhas de Eva é uma das apostas da Globo para o segundo semestre

Em 2006, quando a então jornalista Martha Mendonça começou a pensar no livro de contos Filhas de Eva, a televisão era um universo distante para seu texto. A publicação chegou às livrarias cerca de uma década depois, em um momento em que Martha já era conhecida por ser uma das fundadoras do site Sensacionalista, roteirista do “novo” Zorra, prestigiada autora teatral e com seu primeiro livro Canalha, Substantivo Feminino, devidamente adaptado para o vídeo como As Canalhas, série que rendeu quatro temporadas exibidas pelo GNT. Com essa “bagagem”, o projeto de série baseada em Filhas de Eva chegou com pompa à direção artística da Globo pelas mãos de Glória Perez.
Na sequência, ganhou a direção de Leonardo Nogueira e despertou uma disputa interna de escalação. Por fim, três atrizes do primeiro time da emissora foram confirmadas como protagonistas: Renata Sorrah, Giovanna Antonelli e Vanessa Giácomo, intérpretes de Stella, Lívia e Cléo, respectivamente. “Gosto de falar do poder das mulheres cotidianas. A série retrata histórias permeadas por conflitos e encontros. Por fim, convida o público a pensar: quase todo mundo diz que quer mudar. Mas quem tem, de fato, coragem para promover mudanças?”, questiona Martha, que assina a série como roteirista ao lado de seu marido, Nelito Fernandes, além de Adriana Falcão e Jô Abdu.
As três personagens estão presas a padrões que não as fazem felizes: Stella repete o destino de sua geração, que abriu mão de sonhos pelo casamento e pela maternidade. Lívia tem uma brilhante carreira como psicóloga de relacionamentos, mas sofre por não ter o controle da vida afetiva que idealizou. Já Cléo, com sua baixa autoestima, precisa garantir teto e sobrevivência antes de pensar em qualquer realização pessoal. “Stella é do tipo que tem clareza no coração e no pensamento, o que a leva a tomar uma atitude em busca da felicidade. O desejo por fazer coisas novas é maravilhoso. Mas também é necessário arcar com as consequências desse movimento”, destaca Sorrah.
O ponto de partida da trama é a festa de Bodas de Ouro de Stella e Ademar, papel de Cacá Amaral. No meio do evento, ao assistir ao vídeo que repassa os 50 anos do casal, ela percebe que aquela moça das fotos antigas, otimista e destemida, se perdeu. Ao não se reconhecer mais na vida que construiu com a família ao longo de tantas décadas, ela não consegue se conter: pede o divórcio. Uma decisão inesperada que muda a vida de todos a sua volta, principalmente a de sua filha Lívia e da até então desconhecida Cléo, que apenas levou o bolo da festa.
“Fiquei extremamente impactada com o livro. E o mais legal de tudo é que nenhuma personagem termina a série do jeito que começou. É uma obra muito inspiradora”, valoriza Antonelli. Para Giácomo, além da alegria de viver fortes tipos femininos, Filhas de Eva celebra uma nova reunião profissional com as duas colegas, cerca de cinco anos depois de A Regra do Jogo. “Já aceitei esse convite sabendo a delícia que seria dividir os bastidores com elas. A televisão é um lugar de encontros e esse é muito especial”, garante a atriz.
Cenários históricos
Gravada entre dezembro de 2019 e fevereiro deste ano, Filhas de Eva tentou fazer um passeio menos óbvio pelo Rio de Janeiro, em locações escolhidas especialmente para resgatar áreas da cidade que não são tão abordadas em outras produções. Cerca de 70% das cenas foram feitas em externas em bairros como Grajaú, na Zona Norte, Lapa, no Centro, Glória, Catete, Flamengo, além da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul.
“Não vamos dar destaque aos pontos turísticos com os quais o público já está habituado. A gente quis retratar outro Rio, então corremos para o lado antigo da cidade. Também preferimos fazer boa parte das cenas em externa. O trabalho fica muito mais complexo, mas o tom de realidade compensa”, explica Nogueira. Com elenco formado ainda por nomes como Erom Cordeiro, Marcos Veras, Analu Prestes e Cecília Homem de Melo, entre outros, a série estava em plena fase de edição quando os trabalhos nos Estúdios Globo tiveram de ser paralisados. Por conta disso, a estreia foi postergada para o segundo semestre deste ano. (TV Press)

Escrito por:

Da TV Press