Publicado 29/05/2020 - 14h51 - Atualizado // - h

Por Carlos Rodrigues

Durante a paralisação, Rafael Costa curte cada minuto da sua família

Arquivo Pessoal

Durante a paralisação, Rafael Costa curte cada minuto da sua família

Apesar das medidas de flexibilização da quarentena anunciadas pelo governo do estado na quarta-feira, o Campeonato Paulista ainda não tem previsão para ser retomado. Enquanto esperam os desdobramentos, os jogadores admitem a ansiedade nesse período de incerteza. Para o atacante Rafael Costa, do Guarani, trata-se de um 'sentimento estranho de não saber o que vai acontecer'.
Antes da paralisação, o Bugre vivia bom momento, com a vice-liderança do seu grupo e uma virada heroica no Dérbi. "O time vinha numa crescente e com num nível de confiança muito grande. Fizemos um clássico espetacular contra a Ponte Preta e num momento importante do campeonato. Infelizmente tivemos a paralisação e agora fica aquele sentimento estranho de não saber o que vai acontecer".
Nesses quase dois meses e meio sem bola rolando, os atletas têm procurado não perder o ritmo. No caso do Guarani, todos recebem uma planilha de treinamentos, mas trabalham de maneira individual, reportando as atividades ao preparador físico Leonardo Fagundes. Além disso, Rafael Costa tem aproveitado o período para curtir a família. "É quase impossível um atleta profissional ter tanto tempo livre em casa. Nesses momentos de dificuldade a gente confirma a importância de ter pessoas tão especiais do seu lado. Minha esposa, Maria Eduarda, e meu filho, Guilherme, são meu alicerce e estou aproveitando cada minuto ao lado deles".
Com contrato até o final da temporada, o atacante espera que o Guarani volte forte no Paulistão e também já pensa numa boa campanha na Série B. "Não sei quando e como será, mas penso nisso todos os dias. É uma camisa pesada e com uma história maravilhosa. Espero que isso tudo se resolva logo e que a gente possa voltar a fazer o que mais gostamos, que é jogar futebol". 

Escrito por:

Carlos Rodrigues