Publicado 15/05/2020 - 10h26 - Atualizado 15/05/2020 - 10h26

Por Gustavo Magnusson

O experiente meia Camilo disputou o Paulistão pelo Mirassol e marcou cinco gols em oito partidas

Ponte Press

O experiente meia Camilo disputou o Paulistão pelo Mirassol e marcou cinco gols em oito partidas

Em meio ao período de distanciamento social decorrente da pandemia do novo coronavírus, o meia Camilo, de 34 anos, foi apresentado virtualmente ontem pela Ponte Preta, através do canal PonTV, no YouTube, com participação por videoconferência de 10 sócios-torcedores TC10+ sorteados pelo clube. Camilo, que disputou o Campeonato Paulista pelo Mirassol, assinou contrato com a Macaca até dezembro deste ano.
"Estou muito feliz, entusiasmado e motivado, sabendo que a Ponte Preta tem uma história, uma camisa muito pesada e um projeto de montar um time forte para voltar à Série A. Quero me preparar e não vejo a hora do estádio ficar cheio novamente para sentir o calor da torcida e fazer uma bela campanha nas competições que temos para disputar", afirmou o jogador, que está está em quarentena com a família, no Rio de Janeiro, onde realiza treinamentos sob supervisão da comissão técnica.
Apesar do mau momento vivido pela Ponte Preta dentro de campo, Camilo revela que a decisão de acertar com o clube teve forte influência do gerente de futebol Gustavo Bueno e do atacante Roger, com quem reeditará dupla de ataque. "O Gustavo já me conhecia do Sport, onde subimos juntos para a Série A, em 2013. Já o Roger é meu amigo, será meu quinto clube com ele", afirmou Camilo, que já atuou ao lado de Roger no Sport, Botafogo, Chapecoense e Internacional.
Aos 34 anos, Camilo não vê a idade como um problema. "Hoje a ciência está a favor do futebol. Eu tenho feito um trabalho específico desde 2017, no Internacional, que me faz pensar em jogar até os 39 ou 40 anos tranquilamente. Os profissionais da Ponte Preta são altamente qualificados e vão me ajudar bastante nessa situação. É necessário ter muito cuidado e dedicação. Nunca tive uma lesão grave a carreira. Preciso me preparar dentro e fora de campo para que possa ter o melhor desempenho possível. É muito importante ser não apenas jogador, mas atleta, assim estarei próximo do ideal para mostrar o meu potencial", destacou.
"Eu sou um meia central, não sou jogador de velocidade aguda para jogar nas pontas, mas faço também essa função de acordo com o adversário e já joguei assim assim em outros clubes. Também posso fazer terceiro homem atrás para enxergar um pouco mais o jogo de frente para poder fazer criação de jogadas. Mas a posição que gosto mesmo é bem próximo ao centroavante, pisando dentro da área", completou Camilo, que marcou cinco gols em oito partidas pelo Mirassol no Paulistão.

Escrito por:

Gustavo Magnusson