Publicado 29/05/2020 - 11h38 - Atualizado 29/05/2020 - 12h06

Por Agência Anhanguera de Notícias

Geraldo Azevedo apresenta-se no domingo, 31, entoando os grandes sucessos que estão presentes na memória afetiva de muitas gerações

Reprodução/Facebook

Geraldo Azevedo apresenta-se no domingo, 31, entoando os grandes sucessos que estão presentes na memória afetiva de muitas gerações

Até agora foram pelo menos 2 milhões de visualizações e 39 shows realizados pela série Música #EmCasaComSesc, do Sesc São Paulo, realizado desde o dia 19 de abril, sempre às 19h, com importantes nomes da música brasileira. Neste fim de semana, a programação eclética apresenta shows com os artistas Maurício Pereira, Leila Pinheiro e Geraldo Azevedo.
Abrindo a programação do final de semana, hoje, o cantor, compositor e saxofonista Maurício Pereira, acompanhado de seu filho, Chico Bernardes, faz uma releitura do disco Pra Marte (2007), que inclui uma de suas músicas mais marcantes, Trovoa. A participação de Chico, cantor, compositor e violonista, conferiu uma nova sonoridade a este disco tão importante na carreira de seu pai, dando às músicas um ar folk e violonístico.
No sábado, 30, a cantora e pianista Leila Pinheiro traz para o público do #EmCasaComSesc músicas que vão do rock aos clássicos da MPB, incluindo temas da bossa nova. Somando piano e voz, a artista que em seus 40 anos de carreira acumula 21 discos, três DVDs e parcerias com grandes nomes da música brasileira, canta ainda as músicas que foram eternizadas em sua interpretação, como Verde (Eduardo Gudin/Netto Costa), Catavento e Girassol (Aldir Blanc/Guinga) e Serra do Luar (Walter Franco).
Fechando as apresentações musicais de maio, Geraldo Azevedo apresenta-se no domingo, 31, entoando os grandes sucessos que estão presentes na memória afetiva de muitas gerações. Acompanhado de seu virtuoso violão, o cantor passeia por essas cinco décadas de composições, apresentando desde sucessos do início de sua carreira, como Táxi Lunar (Geraldo Azevedo, Alceu Valença e Zé Ramalho), Bicho de Sete Cabeças (Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Renato Rocha) e Caravana, até canções do seu último álbum, Solo Contigo. "Estou me acostumando com a ideia de tocar para uma plateia virtual. É uma experiência interessante levar minha música para dentro da casa das pessoas", comenta o músico.
Para conferir toda a programação, basta acessar as páginas youtube.com/sescsp ou o novo endereço do Sesc São Paulo no Instagram criado especialmente para a série Sesc Ao Vivo instagram.com/sescaovivo.
Desde o dia 19 de abril, o Sesc São Paulo vem oferecendo um show diferente por dia, diariamente às 19h, ao vivo e direto da casa do artista. A programação foi pensada para atender a todos que apreciam a boa música brasileira, em tempos de isolamento social por conta do novo coronavírus e que levou ao fechamento das unidades em todo o Estado para evitar a disseminação da Covid-19.
A série Música #EmCasacomSesc também tem sido uma oportunidade para promover o Mesa Brasil, programa que conecta empresas doadoras e instituições sociais para o complemento de refeições de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Para saber como ser um doador, acesse o site mesabrasil.sescsp.org.br. (Da Agência Anhanguera).
Teatro é opção para assistir do sofá de casa
A série Teatro #EmCasaComSesc já promoveu sete apresentações de monólogos mostrados diretamente da casa dos artistas, às segundas, quartas, sextas e domingos, sempre às 21h30. Hoje, Denise Weinberg, vencedora do Prêmio APCA 2017, na categoria Melhor Atriz, traz uma adaptação especial do texto O Testamento de Maria. A história apresenta Maria, mãe de Jesus Cristo, em sua busca por desvendar os mistérios ao redor da crucificação de seu filho. Acesso pelo YouTube do Sesc São Paulo ou a página do Sesc Ao Vivo no Instagram. E no domingo, 31, é a vez de Ailton Graça em Solidão.
Graça e o diretor, Marco Antonio Rodrigues, fizeram um recorte significativo do espetáculo, do Grupo Folias, que busca inspiração no realismo e na história política recente para recriar uma América Latina mágica e dolorida. Na apresentação, Ailton propõe cenas que traçam uma narrativa homogênea, mas que podem ser compreendidas em suas potências individuais. O enredo conta como a chegada de um cigano imortal, que abre caminho para a vinda de uma onda de forasteiros, vai provocar mudanças irreversíveis na vida dos moradores de um vilarejo perdido no tempo e no espaço. A dramaturgia é de Sergio Roveri, a partir da obra de Gabriel García Márquez. (AAN)

Escrito por:

Agência Anhanguera de Notícias