Publicado 16/05/2020 - 11h11 - Atualizado // - h

Por AAN

João Bosco: CD tem 16 faixas, duas inéditas, em parceria com o filho

Marcos Hermes/Divulgação

João Bosco: CD tem 16 faixas, duas inéditas, em parceria com o filho

Já se conta quase meio século da estreia fonográfica de João Bosco. Desde que despontou no lado B de um compacto do Pasquim com Agnus Sei (feita com seu parceiro mais constante, Aldir Blanc), João transvê a arte como forma de alento e de elevação. Se fosse "só" isso já estaria de bom tamanho. Porém um ponto primordial, no caso de João Bosco, é que desde aquele distante ano de 1972 ele também compreende a arte como reação.
Em tempos de calmaria social a música de João Bosco já seria significativa. Agora, num arrastado momento de naturalização de discursos e práticas fascistas, ela é essencial. O cantor lançou ontem mas plataformas digitais de música o álbum Abricó-de-Macaco que traz 16 faixas, sendo duas inéditas. Um DVD, dirigido por Fernando Young, fica liberado on-line, até 19 de maio, no canal do YouTube de MPB da Som Livre. O álbum é uma co-produção da gravadora com a MP,B Discos e o Canal Brasil e sai em formato físico em 22 de maio.
Neste novo trabalho, a provocação inteligente sobressai, de arrancada, no título: Abricó-de-Macaco. A alegoria, proposta em parceria por João e seu filho Francisco Bosco, é tão complexa quanto bela. Um fruto tropical fechado, de casca dura, em forma de esfera; ameaçado de extinção, entressonha a esperança de uma estação vindoura para enfim abrir-se em flor. A outra faixa inédita é Horda, também parceria de João e Francisco Bosco. O disco Abre com Mano que Zueira (João e Francisco Bosco. Entram ainda no repertório Senhoras do Amazonas (parceria de João com Belchior), Forró em Limoeiro (Edgar Ferreira, imortalizada por Jackson do Pandeiro), Cordeiro de Nanã(Mateus Aleluia e Dadinho), Nação (Bosco, Aldir Blanc e Paulo Emílio), Água de Beber (Tom Jobim e Vinícius de Moraes),  Cabeça de Nego (João Bosco), Profissionalismo é isso ai (João Bosco e Aldir Blanc), Holofotes(João Bosco, Antonio Cícero e Wally Salomão), Terreiro de Jesus (João e Francisco Bosco), My Favorite Things (Richard Rodgers e Oscar Hammerstein), Pagodespell (João Bosco, Chico Buarque e Caetano Veloso) e Chora Chorões (Caruso, Djalma Branco, Djalma de Mercês e Nei Jangada).

Escrito por:

AAN

nmg