Publicado 27 de Maio de 2020 - 14h26

Por Da Agência Anhanguera

Um novo decreto editado ontem pelo prefeito Du Cazellato permite a reabertura gradual do comércio e atividades de serviços em Paulínia

Divulgação

Um novo decreto editado ontem pelo prefeito Du Cazellato permite a reabertura gradual do comércio e atividades de serviços em Paulínia

Um novo decreto editado ontem pelo prefeito Du Cazellato (PSDB) permite a reabertura gradual do comércio e atividades de serviços em Paulínia, como parte do plano de retomada após a quarentena imposta pela pandemia do coronavírus a partir do dia 23 de março. Segundo a nova determinação, poderão voltar a funcionar várias atividades de comércio e serviços, desde que observadas as regras de prevenção e higiene. Entre essas atividades estão as barbearias, manicures, cabeleireiros, oficinas mecânicas e pesqueiros – desde que não realizem o serviço de restaurantes. Paulínia contava ontem no começo da tarde com 95 casos confirmados da doença; outros 205 em investigação e a cidade conta com uma orte registrada.

Segundo o prefeito, as medidas foram tomadas pelo Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus (CPEC), que define a reabertura gradativa do comércio local. Ele diz que outras atividades deverão ser liberadas em outras etapas. Segundo Cazellato, as medidas serão “constantemente analisadas pelo CPEC”, com a possibilidade de regressão em caso de dados adversos.

“Investimos em equipamentos, na ampliação de leitos no Hospital Municipal, realizamos diversas ações de conscientização, higienizamos prédios públicos, ruas e avenidas e temos agora um quadro que permite a reabertura de alguns setores. A população precisa continuar a fazer sua parte, saindo para o essencial, usando máscaras e tomando as devidas preocupações”, avaliou o prefeito Du Cazellato.

Calamidade

A Prefeitura de Paulínia também abandonou o estado de calamidade pública e passa a ficar em estado de emergência. No decreto, se compromete a manter no ar o Portal da Transparência com dados relacionados as despesas para enfrentamento ao coronavírus e a comissão para análise dos contratos.

O que poderá funcionar em Paulínia

Saúde: Hospitais: clínicas médicas, odontológicas, de fisioterapia, de psicologia, de vacinação e veterinárias; farmácias; óticas; laboratórios de análises clínicas; lavanderias e serviços de limpeza e hotéis.

Alimentação: supermercados e congêneres (mercearias, açougues, peixarias, pesqueiros); estabelecimentos de alimentação de animais, bem como os serviços de entrega (delivery) e “drive thru” de bares, restaurantes, padarias e lojas de conveniência (O consumo no local continua proibido).

Abastecimento: transportadoras; serviços de entrega de mercadorias; postos de combustíveis e derivados; distribuidora de água e gás; oficinas de veículos automotores; lojas de material de construção; empresas de locação de veículos e concessionárias de venda e revenda de veículos automotores.

Segurança: serviços de segurança pública e privada.

Serviços: oficinas de conserto de eletrodomésticos e eletrônicos; oficinas de costura, loja de aviamentos e tecidos; escritórios de contabilidade, advocacia, administração e consultoria; serviços de barbearia, cabelereiros e similares; serviços de massoterapia e podologia; serviços de jardinagem; serviços de inspeção veicular; serviços de despachante; serviços de lava-jato e limpeza veicular; borracharia; serviços de guinchos; correspondentes bancários.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera