Publicado 19/05/2020 - 06h00 - Atualizado 18/05/2020 - 14h46

Por Do Correio

Uma das

Reprodução

Uma das "Escolas de Emergência"

ESCOLA DE EMERGÊNCIA: UM DRAMA RISONHO E FRANCO
Dentro da política educacional do Estado, num esquema de ensino oficial gratuito, as Escolas de Emergência, instaladas no mais das vêzes na zona rural, tem a seu favor um expressivo saldo positivo, principalmente pela sua amplitude e profundidade: influenciam além dos alunos, a própria família e com isso, até o comportamento da comunidade. É um trabalho duro para o professor, um drama desapercebido das crianças. Campinas, um dos mais completos centros de instrução do país, tem, e ainda terá por muito tempo, suas unidades de emergência. E um tipo de escola muito característico de países em desenvolvimento, e plenamente inserida no contexto da América do Sul. Funcionando em dependências cedidas por uma fazenda, é criada por solicitação da própria estância. 
 
TERRORISMO É TEMA DE DEBATES NA O.E.A
Foi rápido o encontro do sr. Galo Plaza, secretário geral da Organização dos Estados Americanos, com o presidente da República. Ele mesmo, à saída do gabinete presidencial, descreveu a visita como curta, positiva e cordial. Segundo suas próprias expressões, o sr. Galo Plaza não trouxe problemas para o general Médici, limitando-se a informá-lo das conversações já mantidas com o chanceler brasileiro e a dizer-lhe que a OEA e a Chancelaria brasileira tem os mesmos pontos de vista sobre o papel que cabe aquela organização desempenhar no continente.
 
EXÉRCITO DO VIETNÃ DO SUL TOMOU CIDADE DE TAKEO
O exército do Vietnã do Sul tomou ontem à tarde a cidade de Takeo, que estava ocupada pelo Vietcong desde há três dias, segundo se soube aqui de boa fonte. Os soldados da Frente Nacional de Libertação não opuseram grande resistência às forças governamentais, acrescentou-se. A cidade cambodjana de Takeo, que estava ocupada pelo vietcong desde há três dias, foi tomada pelo Exército do Vietnã do Sul, soube-se de boa fonte. A mesma fonte acrescentou que os soldados da Frente Nacional de Libertação, não opuseram grande resistência ao ataque das tropas do governo de Saigão. O exército sul-vietnamita atacou ontem pela manhã com dez mil homens - infantaria, "rangers", tanques e fuzileiros navais, apoiados por caças-bombardeiros e helicópteros de combate, na província de Takeo.

Escrito por:

Do Correio