Publicado 15/05/2020 - 06h00 - Atualizado 14/05/2020 - 14h58

Por Do Correio

Movimento intenso na hora do rush

Reprodução

Movimento intenso na hora do rush

CAMPINAS: ÊSSE TRÂNSITO QUE NINGUÉM ENTENDE
Ruas estreitas, avenidas mal traçadas e sinalização precária formam o conjunto do escoamento urbano de veículos pela primeira vez mostrado em tôda a sua gravidade. A comunidade tomou conhecimento de que estamos a beira da saturação. Um imprevisto, e haverá o colapso. Durante a semana passada, uma equipe do CORREIO POPULAR cronometrou durante vários dias, em horários constantes, sempre por volta das 12 e das 18 horas, momentos de maior movimento, o correr do trânsito pelo centro da cidade. Na quarta-feira, duas colisões na avenida Francisco Glicério. Resultado, demorava-se 40 minutos para passar por dentro do centro da cidade, com engarrafamentos colossais nas confluências das ruas Benjamin Constant com Dr. Quirino, Barão de Jaguara e Sacramento.
 
DINHEIRO NOVO: INFLAÇÃO CHEGA AO FIM
A mudança da unidade padrão do sistema monetário brasileiro representa a confiança do governo de que o processo inflacionário entra em fase de agonia — afirmou, hoje, o sr. Fernando Roquette Reis, diretor do Banco Central, durante a solenidade realizada em seu gabinete, para assinalar o lançamento em circulação das novas cédulas impressas no país, pela Casa da Moeda. Representando o Presidente do Banco Central, sr. Emane Galveas, que se encontrava em Brasilia, o diretor Fernando Roquette Reis, dirigindo-se aos diretores da Federação Nacional dos Bancos e do Sindicato dos Bancos do Estado da Guanabara, presentes a solenidade, ressaltou que a volta do cruzeiro como unidade padrão e o lançamento das novas cédulas "registra um marco na luta contra a inflação", congratulando-se com o sistema bancário que recebe seu instrumento de trabalho renovado e saneado.
 
BRASIL APRESENTA EM CANNES FILMES DE QUALIDADE
"A presença do cinema brasileiro no Festival de Cannes foi, êste ano, a mais efetiva em quantidade e qualidade" disse hoje aqui, Luis Carlos Barreto, produtor do filme "O Alienuta", apresentado em competição no Festival Internacional. O Brasil apresentou êste ano 10 películas na quinzena de realizadores, mercado do filme, além das duas que representaram o cinema brasileiro selecionadas ou convidadas na competição oficial, e todas elas revelaram a grande qualidade técnica e artistica do nivel industrial alcançado pelo Brasil" - afirmou Barreto. Tudo isso foi alcançado pelo esforço dos próprios produtores.

Escrito por:

Do Correio