Publicado 05/04/2020 - 15h17 - Atualizado 05/04/2020 - 15h17

Por Carlos Rodrigues

O presidente Ricardo Moisés acha que encerrar o campeonato justificaria o rompimento do contrato de TV

Cedoc/RAC

O presidente Ricardo Moisés acha que encerrar o campeonato justificaria o rompimento do contrato de TV

A decisão da Rede Globo em suspender o pagamento da última parcela da cota de transmissão do Campeonato Paulista por conta da paralisação do torneio em virtude da Covid-19 deixou os clubes em alerta, entre eles o Guarani. A emissora enviou um e-mail à Federação Paulista na última quarta-feira informando que o depósito do dinheiro, que ocorreria amanhã, não vai acontecer 'enquanto perdurar a atual incerteza quanto aos impactos da pandemia na plena ou efetiva continuidade do campeonato'.
Com exceção dos quatro grandes, os demais 12 clubes que disputam o Estadual têm direito a R$ 6 milhões cada um pela exibição de suas partidas e esse valor é dividido em quatro parcelas. Portanto, o Bugre receberia no início da semana aproximadamente R$ 1,5 milhão, sem considerar descontos. Essa quantia é suficiente para pagar cerca de duas folhas salariais de elenco e comissão técnica.
O presidente Ricardo Moisés garantiu que o clube está atento a toda a situação e acredita em um desfecho positivo, com o Paulistão sendo reiniciado e as agremiações recebendo o valor que falta. "O impacto é muito grande. Não só para o Guarani, mas para a maioria dos clubes do Brasil que dependem bastante das cotas de televisão. Acredito que isso possa ser resolvido com uma boa negociação entre clubes, Federação e Globo", disse o dirigente. "Num primeiro momento, não me preocupo. O que me assusta é que alguns clubes querem que o Paulista termine como está e isso pode ser uma defesa da Globo. Ela compra o campeonato inteiro e se o campeonato for finalizado como está, ela sai prejudicada".
Moisés também reiterou que não vê a menor condição do Estadual ser finalizado faltando duas rodadas para o fim da classificação e o mata-mata. "Não tem motivo para terminar assim. Não teria como declarar um campeão faltando alguns jogos e tendo pelo menos oito times em condições de disputar o título. Tem também a situação de definir as vagas da Copa do Brasil. Não finalizar o Paulista agora prejudicaria uma competição do ano que vem".

Escrito por:

Carlos Rodrigues