Publicado 01/04/2020 - 08h10 - Atualizado 01/04/2020 - 08h10

Por Maria Teresa Costa

Entrevista de Jonas de ontem, ao vivo, pelas redes sociais

Carlos Bassan/PMC/Divulgação

Entrevista de Jonas de ontem, ao vivo, pelas redes sociais

O prefeito Jonas Donizette (PSB) informou que está em contato com os prefeitos da Região Metropolitana de Campinas (RMC) para iniciar o compartilhamento da disponibilidade de leitos entre as 20 cidades, como medida de enfrentamento ao avanço da pandemia de coronavírus, para que uma cidade possa socorrer a outra em caso de agravamento da situação.
“Se tenho doentes não graves em Campinas internados, podemos transferi-lo para outra cidade da região, para que o leito seja utilizado por pacientes que correm risco de vida”, afirmou Jonas.
A Secretaria de Saúde de Campinas foi autorizada, na semana passada, a fazer a regulação dos leitos em toda a RMC. Hoje, Campinas já faz a regulação de 940 leitos do Município e está chamando médicos com mais de 60 anos, para atuarem na central de regulação instalada na Divisão Regional de Saúde.
“Estamos articulando a montagem de 120 leitos de UTI, além dos nossos 57 nos hospitais Mário Gatti e Ouro Verde, mas precisaremos levar pacientes não tão graves, como infartados, com cólica de rim, para hospitais de menor complexidade”, afirmou o presidente da Rede Mário Gatti, Marcos Pimenta.
O prefeito informou que o Ambulatório Médico de Especialidade de Campinas (AME) está pronto com 35 leitos de UTI e que serão utilizados quando houver real necessidade. A unidade era para ser inaugurada pelo governador João Doria (PSDB) no próximo dia 7, mas foi cancelada por causa da pandemia de coronavírus.
Jonas informou que pediu reunião com os prefeitos de Sumaré e Hortolândia para discutir a operacionalização do Hospital Metropolitano que está com a construção aceleradas e equipamentos e mobiliário adquirido. Essa articulação, disse, ocorre porque 20% do atendimento da UPS do Padre Anchieta vem das duas cidades.
A intenção, segundo o presidente da Rede Mário Gatti, Marcos Pimenta, é transformar esse hospital em uma UPA 2 do Padre Anchieta durante a pandemia, para centralizar o atendimento de pessoas com os sintomas de Covid-19.

Escrito por:

Maria Teresa Costa