Publicado 31/03/2020 - 12h22 - Atualizado 31/03/2020 - 12h22

Por Da TV Press

Gloria Pires comemorou 50 anos de carreira na tevê com a icônica personagem Lola, de Éramos Seis

Divulgação

Gloria Pires comemorou 50 anos de carreira na tevê com a icônica personagem Lola, de Éramos Seis

É difícil para Gloria Pires não fazer uma viagem no tempo ao encarar a trajetória de Lola em Éramos Seis, da Globo, da qual se depediu no último sábado. Ao longo dos meses em que esteve em contato com a novela escrita por Angela Chaves, a atriz relembrou bastante os caminhos vividos por sua avó. Assim como Lola, a avó de Gloria ficou viúva cedo e ainda perdeu um filho jovem. “Eu me encho de orgulho. Estou aqui graças a ela, essa coisa dos antepassados é muito forte nessa novela. Inclusive, quando ando pela cidade cenográfica, lembro bastante do meu pai (o ator e humorista Antônio Carlos Pires). Passear com meu pai pelo Centro era uma aula. Ele contava várias coisas, encenava. Coisa de ator, não é? É nisso que me apego para fazer a novela”, ressaltou.
Aos 50 anos de carreira, Gloria não esconde sua satisfação de viver uma das personagens mais icônicas da dramaturgia brasileira. Ainda assim, antes de aceitar o convite de Silvio de Abreu para viver Lola, a atriz não havia tido contato com outras versões da história de Maria José Dupré. “Não sei se outra novela teve tantos ‘remakes’. Eu não tinha visto as outras versões, mas fiquei intrigada em entender como iriam dar uma cara nova para a personagem e à trama toda. É uma grande homenagem receber uma personagem como a Lola aos 50 anos de carreira e estar em um produto como Éramos Seis”, valorizou.
Em sua quinta versão, o atual folhetim das seis é baseado na novela original escrita por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, livremente inspirada no livro de Maria José Dupré. Diferentemente das versões anteriores, Lola não ficou lamentando sua viuvez. A matriarca da família Lemos reencontrou o amor a partir da amizade de Afonso, papel de Cássio Gabus Mendes. O novo romance surpreendeu Gloria à medida que os capítulos foram avançando. “Não pensava que eles realmente fossem ter algum tipo de relação nesse sentido, mas aquela amizade era muito profunda. Um apoiando o outro o tempo todo. Acredito que o amor sempre salva, mesmo que não seja o amor romântico. O amor é remédio para tudo, para a alma, para a vida”, defendeu a atriz, que ficou feliz com a torcida pelo romance do casal. “Como estamos vivendo tempos difíceis, acho que todo mundo quer um final feliz. Ninguém quer ver essa mãe padecer. As pessoas esperam que ela seja feliz e se realize. Eu acho lindo, trabalhamos nesse sentido”, completou.
Chegando à reta final da novela, Gloria ressaltou o ambiente acolhedor de trabalho que se construiu ao longo dos meses. A atriz destacou ainda o orgulho do trabalho que foi feito por toda a equipe do folhetim. “Temos um ambiente de muito amor e respeito. Não é fácil esse dia a dia, é uma rotina pesada, mas com um convívio muito sadio. Então, isso realmente dá um gás para seguir trabalhando. Temos muito orgulho do trabalho que fizemos”, elogiou.

Escrito por:

Da TV Press