Publicado 18/03/2020 - 11h41 - Atualizado 18/03/2020 - 11h41

Por Aquiles Reis

Um trabalho exemplar

Divulgação

Um trabalho exemplar

Falaremos sobre o cavaquinho. Para tanto, não se pode deixar de falar em Henrique Cazes, um grande cavaquinista. Vamos lá: já autor do método Música Moderna do Cavaquinho, desde sempre Cazes batalha para elevar o instrumento à sua real importância como solista. O álbum atual acrescenta virtudes ao instrumento e, dedilhando choros e valsas, o autor se habilita a ser reconhecido como mestre nas quatro cordas do “pequeno notável”.
Sempre persistindo no objetivo de torná-lo compreensível a todo e qualquer interessado, Cazes fez manuais didáticos, e compôs e gravou choros feitos especialmente para o seu instrumento... Epa! Eu escrevi “seu”? Mas poderia muito bem ter escrito “nosso”, pois HC está sempre pronto a ensinar a tocar cavaquinho e a revelar sua história e evolução.
Agora ele lança o CD Música Nova Para Cavaquinho (independente), primeiro ato de uma coleção que inclui um livro de partituras com todas as obras, um CD com algumas delas e 12 clipes para a internet com os 12 Estudos para Cavaquinho Solo. Enfim, técnicas de grande valor para instrumentistas experientes e jovens aprendizes. Posto que lá estão, em carne e osso, o Henrique Cazes professor e o Henrique Cazes instrumentista. O cara é fera!
E digo mais, ele é um dos “culpados” pelo bom momento que o chorinho instrumental tem vivido junto a moçada que cada vez mais manifesta interesse pelo cavaquinho e pelo choro... Isso se chama renovação.
Por justiça, “denunciarei” outros “culpados”. Por exemplo, a Casa do Choro, no Rio de Janeiro, dirigida pela cavaquinista Luciana Rabello e pelo violonista Mauricio Carrilho, a Escola de Choro de São Paulo e a Escola Brasileira de Choro Raphael Rabelo, em Brasília, dentre outras.
Mas vamos ao CD. Todo de autoria de Henrique Cazes, o repertório e os arranjos são admiráveis – a diversidade do gênero está ali regiamente representada. Enquanto a técnica do professor e a alma do instrumentista saltam aos ouvidos, o chorão é todo virtude.
Tudo flui na graça de ser música brasileira – desde o choro esperto Viravoltando, passando por Sensacional, dedicado ao violonista de sete cordas Rogério Caetano, e por Alô Paulinho, bela homenagem a Paulinho da Viola; e chegando a Estudo No. 5, um estudo do trêmolo (repetição rápida de uma ou duas notas) brasileiro, homenagem a Jacob do Bandolim, e a Divertimento Para Cavaquinho e Violão de 7 Cordas, dividido em três partes: introdução, valseado e samba.
Não finalizarei este texto antes de nomear todos os músicos que tocam com Henrique Cazes (cavaquinho): Beto Cazes (percussão), Cristóvão Bastos (piano), Diego do Valle (contrabaixo), Hugo Pylger (violoncelo), João Camarero (violão de sete), Marcello Gonçalves (violão de sete), Marcos Nimrichter (acordeom), Mark Duggan (vibrafone), Omar Cavalheiro (contrabaixo), Oscar Bolão (bateria) e Rogério Caetano (violão de 7 cordas de aço). Vixe!
Que belo trabalho, meu Deus! A todos eles a minha mais sincera reverência.

Escrito por:

Aquiles Reis