Publicado 31/03/2020 - 10h39 - Atualizado 31/03/2020 - 17h00

Por Alenita Ramirez

Três homens são presos com 17 tijolos de maconha

Roberto Torrecilas

Três homens são presos com 17 tijolos de maconha

Três homens foram presos em flagrante anteontem, em Jaguariúna, com 17 tijolos de maconha. O trio foi encontrado por agentes do 1º Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep) durante patrulhamento na Rua Amoreira, e usava um caminhão ¾ carregado de sucata para despistar a polícia. Também foram apreendidos cerca de R$ 18 mil em dinheiro com outros dois suspeitos, em Araras. Um dos detidos, Jorge Luiz da Silva Campos, o Tio Chico, de 42 anos, foi preso durante uma operação da Polícia Civil, em novembro de 2013, com outro casal de traficante, em um motel da cidade.
A detenção dos suspeitos ocorreu por volta das 9h, no distrito Industrial da cidade. A ação foi conjunta com o policiamento de área. Os suspeitos voltavam de Araras, onde pegaram a droga, que estava escondida em um saco plástico, próximo a alavanca. Além de Tio Chico outros dois suspeitos, identificados como Adriano Aparecido de Araújo, de 32 anos, e João José Alves, de 33 anos, estavam na cabine.
O trio chegou a tentar fugir por várias ruas da cidade, mas foi detido no bairro Roseira, reduto de atuação do traficante Tio Chico, segundo a PM. “Ele confessou que tinha pegado a droga com um fornecedor em Araras. Fomos até lá e o suspeito disse que na verdade quem passava a droga era um sócio, que também morava em Araras”, contou o tenente Rodrigo Sahd.
Na casa de um dos suspeitos, os policiais encontraram R$ 11,7 mil e cadernos com anotações de movimentação do tráfico. Na casa do sócio, também foi achado mais de R$ 6,4 mil em cédulas, além de cadernos com anotações de tráfico. Os dois foram levados para Jaguariúna, onde prestaram depoimentos e liberados.
‘Capivara’
No dia 11 de novembro de 2013, policiais civis de São Paulo fez uma superoperação na capital e em cidades da região de Campinas para prender integrantes de uma quadrilha que explodia caixas eletrônicos. Na época, a polícia descobriu que os bandidos usavam o dinheiro que conseguiam nos roubos para financiar o tráfico de drogas. Oito pessoas foram presas na ocasião, três delas de Jaguariúna.
Entre os envolvidos constatado pela investigação, estava o empresário Paulo Adriano Fatore, o Japa. Ele foi preso pela primeira vez pela polícia, que o buscava havia 15 anos. Ele tinha uma mansão na cidade, comprada com dinheiro das drogas, segundo apurações. Na época, a mulher dele também foi presa.

Escrito por:

Alenita Ramirez