Publicado 19/03/2020 - 07h42 - Atualizado 19/03/2020 - 07h42

Por Daniel de Camargo

Vazio em plena quarta-feira, o Largo do Rosário, em Campinas, reflete a situação de pandemia do coronavírus

Matheus Pereira/AAN

Vazio em plena quarta-feira, o Largo do Rosário, em Campinas, reflete a situação de pandemia do coronavírus

O prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB) anunciou ontem — quando a cidade confirmou o terceiro caso positivo da Covid-19 —, novas medidas de enfrentamento da pandemia. Entre as ações estão a utilização do Ambulatório Médico de Especialidades (AME), situado no Parque Itália, como um hospital específico para tratar pessoas infectadas pela doença, o fechamento de todos os parques públicos, incluindo a Lagoa do Taquaral, e a publicação de um decreto colocando o Município em estado de emergência.
Jonas anuncia novas ações de enfrentamento ao coronavírus
Os comunicados foram feitos em uma transmissão ao vivo por meio de uma rede social — o chefe do Executivo explicou que, dessa forma, não haveria aglomeração de pessoas, ao contrário, do que aconteceu na coletiva de imprensa na última segunda-feira. Jonas comentou que, devido a sua destinação temporária para o combate à Covid-19, a inauguração do AME, prevista para abril, será antecipada. Na unidade serão disponibilizados 35 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
De acordo com o secretário de Saúde, Carmino de Souza, no pior cenário possível da pandemia em Campinas, considerando que o sistema de saúde ficará pressionado, por exemplo, no que diz respeito às internações, serão necessários 100 leitos para internações. Fora os do AME, informou já contar com outros 10 do Hospital Ouro Verde, 59 do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp e cinco, por meio de convênio, com o Hospital da PUC- Campinas, totalizando 109. "Teremos o suporte que a cidade precisa", garantiu.
Carmino frisou que, por determinação do prefeito, o Ouro Verde será o principal hospital municipal para atendimento ao coronavírus. Nessa condição, o número de leitos pode ser ampliado até 60. Há também ofertas da rede privada em análise. "O provedor da Santa Casa nos ofereceu 15 leitos", pontuou.
Contratações
Jonas contextualizou que Saúde é um problema no Brasil. Em 2019, contabilizou terem sido realizados 6 milhões de procedimentos na rede municipal. Ressaltou ainda que só na sua gestão foram contratados 3,5 mil profissionais para o setor. A situação, entretanto, implicará na admissão de aproximadamente 200 servidores, além dos quase 50 médicos do programa Mais Médico Campineiro.
O chefe do Executivo solicitou ainda ao secretário de Assuntos Jurídicos, Peter Panutto, a elaboração de um decreto ou projeto de lei que permita a laboratórios particulares quitarem dívidas com a Prefeitura por meio da prestação de serviços. Segundo Jonas, o montante é alto e a demanda a ser absorvida auxiliará significantemente. A votação dessa preposição deverá ter caráter de urgência na Câmara Municipal. O prefeito projetou ainda a compra de testes. Assim, os resultados chegarão mais rapidamente. Disse que o Instituto Adolfo Lutz tem demorado um pouco porque atende o Estado todo e, por isso, está sobrecarregado.
Consultórios
Em reunião realizada anteontem, na sede da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), que tem mais de 3 mil médicos associados, Carmino diz ter sensibilizado representantes da classe médica sobre a importância de retirar os pacientes dos consultórios. O secretário diz que a população só deve procurar atendimento — na rede pública ou privada — em casos "agudos". No mais, a orientação é para se tratar em casa.
Diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas, Andrea Von Zuben informou que o telefone 160 está disponível e exclusivo para atendimento sobre a Covid-19. Pelo canal, é possível solicitar um atestado sanitário de forma remota, eliminando a ida aos postos de saúde. O documento, uma autodeclaração validada por autoridade sanitária, serve para justificar a falta ao trabalho. Andrea diz contar com o bom senso e honestidade da população.
Parques fecham a partir de hoje
Campinas entra, hoje, em estado de emergência. O secretário de Assuntos Jurídicos, Peter Panutto, explicou que um decreto com dois artigos será publicado no Diário Oficial. A ação visa, principalmente, permitir que a Administração possa realizar compras de insumos e suprimentos para o enfrentamento da pandemia sem a necessidade de licitação, o que agiliza o processo. Essa ação completa os decretos já baixados por Jonas que cobriram praticamente todas as ações necessárias nessa situação. Carmino contextualizou que o Brasil vive estado de emergência sanitária.
Jonas determinou também o fechamento, a partir de hoje, de todos os 25 parques e bosques de Campinas. A medida é por tempo indeterminado e abrange as grandes áreas de lazer da cidade, como a Lagoa do Taquaral — incluindo ginásio, academias, centro de lutas, museus e piscina —, o Bosque dos Jequitibás e todas as atividades culturais e esportivas que funcionam dentro desses espaços. Todos os treinos e jogos que utilizam o ginásio do Taquaral estão suspensos.
Além dos parques e bosques, as 35 praças de esporte do Município, incluindo as piscinas públicas, interromperam o funcionamento desde anteontem.
Antecipação de 13º é descartada por impactar arrecadação
A coletiva de imprensa serviu também para outros esclarecimentos pertinentes ao enfrentamento da pandemia. Sobre a possibilidade de antecipar o 13º salário dos aposentados e pensionistas da Prefeitura, a exemplo do realizado pelo INSS, Jonas descartou por hora a medida. Explicou que a arrecadação será impactada. “Quem puder manter os impostos em dia, estará nos ajudando”, avaliou.
O chefe do Executivo orientou ainda que as igrejas façam transmissões online de cultos e missas e que, se possível, evitem aglomerações em casamentos e batizados. “Sei que tem igrejas não cumprindo as orientações. Vamos avaliar e possivelmente fazer um aviso direto a essas igrejas", completou. Jonas pediu também que as pessoas evitem ir às academias. Por fim, assegurou que, no momento, não está na programação pedir ajuda ao Exército, e disse defender que os voos internacionais sejam cancelados no Aeroporto Internacional de Viracopos. Esse pedido, na qualidade de presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), já foi feito ao governo federal abrangendo todos os aeroportos do País.
Postos da Sanasa farão atendimentos por telefone
A Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) informa que, a partir hoje, todos os postos de atendimento serão fechados. Essa medida atende o decreto publicado pelo prefeito Jonas Donizette (PSB), na última segunda-feira, que dispõe sobre as medidas temporárias e emergenciais de prevenção de contágio pela Convid-19.
No entanto, a empresa disponibilizou alguns telefones para atendimento nas respectivas agências: Agência Castelo: 3348-5700; Agência Londres: 3348-5701/3348-5702/3348-5703; Agência Taquaral: 3348-5704 ou 3348-5705; Agência Centro: 3348-5706. Somente a agência da sede, situada na Avenida da Saudade e os postos do Agiliza Campinas vão permanecer abertos, porém com restrição na quantidade atendimentos — quatro pessoas atendidas por vez.

Escrito por:

Daniel de Camargo