Publicado 11/03/2020 - 06h00 - Atualizado 10/03/2020 - 14h31

Por Do Correio

O prefeito Quércia visita o teatro

Reprodução

O prefeito Quércia visita o teatro

ÊSTE É O TEATRO JOSÉ DE CASTRO MENDES
Continuam intensos os preparativos para a comemoração ao Centenário da primeira apresentação da ópera "O Guarani" de autoria do grande compositor e maestro campineiro Antonio Carlos Gomes. A Prefeitura Municipal está se desdobrando para que tudo saia a contento. O Ex-Cine Casablanca, adquirido pela Municipalidade está sendo condignamente preparado para a apresentação da ópera. É o novo teatro campineiro. Aliás, diga-se de passagem o prefeito Orestes Quércia foi muito feliz na aquisição daquela casa de espetáculos que virá, agora com sua transformação, preencher uma lacuna na vida cultural de Campinas, cidade que viu nascer os maiores gênios da cultura, e que elevaram não só o seu nome como também o do Brasil, nos quatro cantos do mundo.
 
NÃO HAVERÁ AUMENTO NA TAXA DO INPS
Após despachos hoje com o presidente da Republica, o ministro do Trabalho  desmentiu notícias segundo as quais seria aumentada de 8 para 10 por cento a taxa de descontos dos empregados para a Previdência Social. "A notícia hoje divulgada frisou o sr. Julio Barata - é inteiramente inverídica. O governo não cogita, nem cogitou, de qualquer aumento na taxa de desconto. A presidência do Instituto Nacional de Previdência Social informou que desconhece qualquer gestão por parte do Ministério do Trabalho no sentido de aumentar a participação dos previdenciários de 8 para 10 por cento, por ocasião do aumento de salário mínimo conforme se noticiou recentemente. A presidência acrescentou que qualquer providência a respeito seria tomada tão sómente pelo serviço atual do MTPS.
 
EM LONDRES, IMPASSE NO CONSELHO DO CAFÉ
A primeira sessão plenária do Conselho Extraordinário do Café, realizada hoje para examinar a situação do mercado, chegou a um impasse em menos de uma hora de trabalho. Esta situação foi criada pela rigidez de posição nos pontos de vista entre os países produtores e as nações consumidoras. Diante deste impasse, que não surpreendeu a ninguém, é impossível procurar e encontrar uma solução no nível do Comitê Executivo ou dos grupos de trabalho.

Escrito por:

Do Correio