Publicado 26/03/2020 - 20h56 - Atualizado 26/03/2020 - 20h56

Por Estadão Conteúdo


Completos 30 dias após a confirmação do primeiro caso do novo coronavírus no País, o Ministério da Saúde evitou fazer projeções sobre o avanço da doença no Brasil. Em coletiva nesta quinta-feira, 26, o secretário executivo da pasta, João Gabbardo afirmou que não serão divulgadas previsões de contágio e de óbitos.

A expectativa da Ministério, contudo, é que o Brasil não terá nível equiparado de mortes como as da Itália, país com o maior número de baixas até então e que está perto de ultrapassar a China no número de casos de infectados, com mais de 80 mil registrados. "Esperamos não ter crescimento abrupto (da curva de infecção) como a Itália", disse.

Gabbardo informou ainda que o governo trabalha com uma expectativa de aumento de casos diários em 33% em relação ao dia anterior. Ele enfatizou que o País tem ficado abaixo dessa porcentagem.

O secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira destacou, entretanto, que o Brasil ainda está no início da sua epidemia. "Estamos tentando transformar nossa montanha em um morrinho, mas vamos continuar tendo que escalar ela", afirmou se referindo a curva de infecção do País. Ele também opinou ser cedo para avaliar a eficácia de medidas tomadas pelo governo e pelos Estados, como as orientações de isolamento social.

Escrito por:

Estadão Conteúdo