Publicado 14/02/2020 - 10h11 - Atualizado 14/02/2020 - 10h11

Por Carlos Rodrigues

Em 2019, Thiago Carpini foi auxiliar de Roberto Fonseca, seu adversário de amanhã à tarde no Brinco de Ouro

Guarani FC

Em 2019, Thiago Carpini foi auxiliar de Roberto Fonseca, seu adversário de amanhã à tarde no Brinco de Ouro

O Guarani terá motivos de sobra para se preocupar com a folclórica Lei do Ex no jogo de amanhã contra o Novorizontino, às 16h, no Brinco de Ouro, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. Isso porque o adversário conta com cinco jogadores — e mais o técnico Roberto Fonseca — que já tiveram passagens pelo Bugre. A lista tem um jogador que ficou marcado de maneira positiva na história do clube, enquanto os outros não deixaram saudade.
O nome que traz boas recordações ao torcedor bugrino é Bruno Aguiar. O zagueiro de 33 anos defendeu a camisa alviverde em 2009 e foi um dos líderes do time que conquistou o acesso na Série B daquele ano. O defensor marcou apenas dois gols, mas um deles bastante simbólico, que foi o que definiu a vitória por 2 a 1 no Dérbi. Negociado com o Santos na sequência, Aguiar teve o retorno sempre cogitado, mas isso nunca se concretizou.
Já os outros quatro atletas que passaram por Campinas e estão hoje no Novorizontino tiveram trajetórias para lá de modestas por aqui. Atualmente o goleiro menos vazado do Paulistão com apenas um gol sofrido, Oliveira jogou no Guarani na Série B de 2018, mas fez apenas sete partidas e nunca teve a confiança do torcedor. Situações semelhantes viveram o zagueiro Edson Silva e o lateral-direito Felipe Rodrigues, que também participaram daquela campanha sem nenhum destaque. O último 'ex' entre os atletas é Thiago Ribeiro. O experiente atacante atuou no Bugre no ano passado, marcou dois gols em 12 jogos e não renovou o contrato.
Quem também volta ao Brinco de Ouro é Roberto Fonseca. Contratado em 2019 para tentar fazer o time reagir na Série B, o treinador não teve sucesso em sua missão e deixou o cargo após nove jogos, com duas vitórias e 29,6% de aproveitamento. Curiosamente, um de seus auxiliares era Thiago Carpini, que assumiu a equipe após sua saída e comandou a campanha de recuperação que salvou o Bugre do rebaixamento.
Reencontros à parte, os jogadores do Guarani esperam um jogo complicado diante de um adversário que também faz campanha positiva. "Eles têm um treinador que passou por aqui, mas também já esteve lá e conhece todo o grupo. Vamos estudar o time deles, assim como com certeza eles também vão nos estudar", diz o volante Deivid. "Precisamos estar atentos em todos os jogos e o fator principal é estarmos em casa. Precisamos ganhar para adquirir confiança na sequência da competição", acrescenta o volante Lucas Abreu.

Escrito por:

Carlos Rodrigues