Publicado 13/02/2020 - 10h24 - Atualizado 14/02/2020 - 15h11

Por Gustavo Magnusson

Roger marcou o gol da vitória quando o Novo Hamburgo estava melhor

Raul Pereira/EC

Roger marcou o gol da vitória quando o Novo Hamburgo estava melhor: Macaca agora pega o Vila Nova

Um ano após amargar eliminação na primeira fase da Copa do Brasil, a Ponte Preta espantou o fantasma da Aparecidense, venceu ontem o Novo Hamburgo por 2 a 1 e avançou para a segunda fase da competição. Com a classificação, a Ponte Preta ainda embolsa R$ 1,2 milhão. Na próxima etapa da Copa do Brasil, a Ponte Preta vai enfrentar o Vila Nova-GO, que na última quarta-feira eliminou o Galvez-AC após vitória por 1 a 0 na Arena da Floresta, em Rio Branco. Ainda não há data definida para o confronto.
Sem marcar nenhum gol na temporada, o Novo Hamburgo iniciou a partida exercendo grande pressão sobre a Ponte Preta. Foram três finalizações com menos de dois minutos de jogo. Na principal delas, Mossoró arriscou de fora da área e obrigou o goleiro Ygor Vinhas a mandar para escanteio. Após o susto inicial, a Ponte Preta não se intimidou e abriu o placar aos 2', após bela enfiada de bola de Felipe Saraiva, escalado pela primeira vez como titular nesta temporada pelo técnico Gilson Kleina. O jovem de 21 anos lançou Roger, que encontrou João Paulo sozinho na pequena área. O meia só teve o trabalho de empurrar para as redes, anotando seu primeiro gol com a camisa da Macaca.
Precisando da virada para avançar, o Novo Hamburgo seguiu insistindo em chutes de fora da área e chegadas pela linha de fundo, mas pecava bastante no último passe. No segundo tempo, o Novo Hamburgo continuou pressionando uma Ponte Preta que se limitava somente a defender o resultado. Aos 7’, Felipe Mattioni cruzou pelo lado direito e encontrou Alison, que testou firme para marcar o primeiro gol do Nóia na temporada e igualar o marcador.
Aos 20’, o próprio Alison teve em seus pés a chance da virada, mas parou na trave após desperdiçar pênalti cometido por Danrley, que havia acabado de entrar. A bola ainda bateu caprichosamente nas costas de Ygor Vinhas e voltou a jogo. Antes disso, aos 10’, o Novo Hamburgo já havia parado em Ygor Vinhas em um lance impressionante no qual o goleiro operou dois milagres no mesmo lance após escanteio. Na sequência, Diego Ivo mandou para as redes, mas a arbitragem assinalou impedimento. As várias oportunidades desperdiçadas representaram um baque para o Novo Hamburgo, que ainda viu a Ponte reassumir a liderança do placar aos 33’, quando Roger aproveitou rebatida errada de Diego Ivo, girou sobre Chicão e mandou no ângulo de Jacsson. 
Enquanto não volta a campo pela Copa do Brasil, a Ponte Preta concentra as atenções para o Paulistão. O próximo duelo será contra o Ituano, segunda-feira, às 20h, em Itu. O Novo Hamburgo, por sua vez, volta a campo somente em março.
FICHA TÉCNICA
NOVO HAMBURGO
Jacsson; Felipe Mattioni, Diego Ivo, Chicão e Romano; Itaqui (Felipe Lima 35/2º), Escobar (Matheus Bertotto 26/2º) e Mossoró; Nicolas (Moisés Brito/Int.), Juba e Alison. Técnico: Ben Hur Pereira.
PONTE PRETA
Ygor Vinhas; Apodi (Danrley 14/2º), Wellington Carvalho, Henrique Trevisan e Guilherme Lazaroni; Bruno Reis, Dawhan e João Paulo; Felipe Saraiva (Mateus Anderson 27/2º), Bruno Rodrigues e Roger (Safira 37/2º). Técnico: Gilson Kleina.
Gols: João Paulo aos 2' do 1º tempo; Alison aos 7' e Roger aos 33' do 2º tempo.
Local: Estádio do Vale (Novo Hamburgo).
Árbitro: William Machado Steffen (SC).
Cartões amarelos: Guilherme Lazaroni e Safira (PP); Felipe Mattioni, Juba, Chicão e Romano (NH).
Cartão vermelho: Felipe Mattioni (42' 2º).

Escrito por:

Gustavo Magnusson