Publicado 27/02/2020 - 20h07 - Atualizado 27/02/2020 - 20h07

Por Henrique Hein/AAN

O secretário de Saúde, Cármino de Souza afirmou que não há o que temer

Carlos Bassan

O secretário de Saúde, Cármino de Souza afirmou que não há o que temer

Dos 85 casos suspeitos de coronavírus em São Paulo, anunciados hoje pelo governo do Estado, cinco estão na Região Metropolitana de Campinas (RMC), sendo quatro em Campinas. Em coletiva realizada ontem à tarde, a Secretaria de Saúde de Campinas confirmou que quatro pacientes são investigados na cidade. A Prefeitura de Valinhos, por sua vez, comunicou que um rapaz, de 25 anos, que viajou para Israel e Itália e retornou ao Brasil há duas semanas, apresentou sintomas da doença e aguarda resultado do exame. Outros cinco pacientes da região - três em Vinhedo e dois em Valinhos - estão em isolamento domiciliar, porque tiveram contato com o primeiro infectado do País, um homem de 61 anos, e morador da Capital. Como não manifestaram sintomas da doença, eles não foram incluídos na lista.
Em Campinas, a Secretária de Saúde informou que os quatro pacientes suspeitos de terem coronavírus apresentaram sintomas como tosse, febre, coriza e estiveram nas regiões de risco nos últimos 14 dias. Três deles viajaram para a Itália, enquanto um fez um mochilão pela Europa. Todos eles estão sendo monitorados em suas casas e passam bem. Os casos foram identificados na quarta-feira, após os pacientes receberem atendimento médico. De acordo com a Pasta, dois deles - um de 27 e outro de 30 anos - foram atendidos em hospital público, enquanto os outros dois (24 e 56 anos) receberam atendimentos na unidade privada. Os exames deles já foram colhidos e encaminhados ao Instituto Adolfo Lutz, na capital paulista. A tendência de que o resultado oficial seja divulgado até o começo da semana que vem.
Segundo a Prefeitura, nenhum dos quatro campineiros desembarcou no Brasil por meio do Aeroporto Internacional de Viracopos, mas, sim, por São Paulo. A administração destacou ainda que segue um protocolo de segurança em Viracopos: os passageiros de regiões que estão em alerta para o coronavírus - que apresentarem febre e sintomas leves - serão levados ao Hospital Ouro Verde. Se na unidade, os médicos identificarem sintomas graves, eles serão encaminhados ao Hospital das Clínicas (HC) da Unicamp. A medida é tomada apenas para passageiros oriundos da Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Camboja, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Japão, Singapura, Tailândia e Vietnã.
Apesar dos casos suspeitos, o secretário de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, disse que a população não precisa ficar com medo. Segundo ele, tudo está sob controle. "De ontem para hoje, tivemos um aumento importante, de 85 casos no Estado. E, em Campinas, agora temos quatro suspeitos e que estão em casa, sendo monitoradas por nós. A situação é tranquila", afirmou. "Nesse momento, estamos apenas intensificando aquilo que já estava previsto no nosso plano de contingência" , completou.
Carmino disse ainda a Administração vai disponibilizar produtos como sabonetes e álcool em gel no Paço Municipal e nas unidades públicas de saúde para que a população possa manter os hábitos de higiene em dia. "Nos vamos intensificar um pouco a prevenção" , disse.
Segundo a Diretora do Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas, Andrea Von Zuben, é preciso que as pessoas tenham cautela na hora de avaliar se um caso pode ou não ser de coronavírus. "Caso suspeito de coronavírus tem que ter febre e mais um sintoma respiratório, como tosse ou espirro. Além disso, a pessoa tem que ter viajado ou tido contato com uma pessoa que viajou nos últimos 14 dias para um dos países com transmissão ativa da doença, como a Itália, por exemplo" , reforçou.

Escrito por:

Henrique Hein/AAN