Publicado 13/02/2020 - 08h16 - Atualizado 13/02/2020 - 08h16

Por Daniel de Camargo

Campus de 100 mil metros quadrados em construção no Polo de Alta Tecnologia

Leandro Ferreira/AAN

Campus de 100 mil metros quadrados em construção no Polo de Alta Tecnologia

Presente em 20 países e com mais de 70 mil alunos nos cinco continentes, a rede de escolas Sabis, que oferece educação internacional bilíngue, anunciou ontem a implantação de uma unidade em Campinas — a primeira na América do Sul. Já em construção no Polo de Alta Tecnologia, próximo ao Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), o campus irá ocupar uma área de 300 mil metros quadrados — sendo 100 mil metros quadrados de área construída — e tem custo estimado em cerca de US$ 50 milhões — na cotação atual, R$ 217 milhões. As obras foram iniciadas no segundo semestre de 2019 e tem previsão de conclusão para setembro próximo. Nesse período, serão gerados aproximadamente 250 empregos e de 200 a 400 após a inauguração.
A diretora Szilvia Simai em evento de apresentação do projeto
Diretora de admissão da Sabis em Campinas, a húngara Szilvia Simai explicou que o maior município da Região Metropolitana de Campinas (RMC) foi escolhido como sede do primeiro campus brasileiro por ter um mercado menos concorrido, se comparado a capital São Paulo, por exemplo. “Campinas é uma cidade conhecida pela excelência acadêmica, com grande potencial para um sistema educacional como o nosso”, analisou.
Com atuação de educadores brasileiros e de outros países, será ofertada educação internacional bilíngue, do ensino Infantil ao Médio. O currículo segue as normas do Ministério da Educação (MEC) com um programa internacional e brasileiro totalmente integrado. Deste modo, os alunos poderão escolher posteriormente entre estudar em uma universidade brasileira ou estrangeira.
“Um dos nossos pontos fortes em relação às demais escolas internacionais presentes no Brasil é que temos a intenção de nos adequarmos à cultura nacional e queremos preparar nossos alunos não só para as universidades do exterior, mas também para se sair bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e nos principais vestibulares do País", afirmou Szilvia.
Livros
O currículo brasileiro seguirá o padrão Sabis, sistema com livros e metodologia próprios, utilizado pela rede no mundo inteiro, com testes frequentes para garantir que os alunos estejam realmente aprendendo, além de suporte e acompanhamento contínuo. Alguns livros são em formato bilíngue, com páginas espelhadas em inglês e português, por exemplo, para matemática. As crianças brasileiras terão também a possibilidade participar da colônia de imersão na incrível unidade Ashwicke Hall, na Inglaterra, que lembra um castelo.
Os alunos da rede têm alcançado resultados que estão bem acima das médias globais. Os últimos resultados de 2019, em respeitados testes internacionais mostram que os alunos da rede obtiveram notas superiores aos índices globais.
Campus pode abrigar até 2 mil alunos
O croqui do empreendimento
O campus campineiro terá capacidade para atender 2 mil alunos no total. Szilvia disse que, no momento, o projeto está sendo apresentado para pais e responsáveis de possíveis alunos que tem procurado a instituição. O escritório temporário está instalado na Avenida Engenheiro Carlos Stevenson, nº 385, na Nova Campinas. O telefone para contato é o (19)3295-5125. As aulas do currículo acadêmico, em período integral, serão iniciadas em agosto de 2021 - seguindo o calendário escolar internacional. Contudo, a partir de fevereiro do ano que vem já haverá aulas preparatórias para estudantes que precisarem aprimorar o inglês antes de iniciar os estudos. Quem optar pelo período integral pagará mensalidade em torno de R$ 4 mil.
“Inicialmente, abriremos matrículas para crianças a partir de 2 anos de idade até o sexto ou sétimo ano do Ensino Fundamental, pois é necessário que os alunos tenham fluência no inglês para acompanhar as explicações. A partir daí, ‘cresceremos juntos’ até chegar ao Ensino Médio”, esclareceu a gestora. O campus irá oferecer infraestrutura completa para os estudantes, com diferenciais como piscina aquecida para as aulas de natação para os mais jovens (como parte da grade curricular), piscina semi-olímpica para os maiores e espaços esportivos e de lazer adequados às diversas faixas etárias. Destaque para a pista de triciclos nos quais as crianças serão ensinadas desde cedo sobre as leis do trânsito e para os laboratórios de ciências preparados especialmente para os estudantes da educação infantil.

Escrito por:

Daniel de Camargo